Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Kosovo classifica Hezbollah como organização terrorista

Tropas do Hezbollah, em 15 de abril de 2016 [Agência Anadolu]
Tropas do Hezbollah, em 15 de abril de 2016 [Agência Anadolu]

A República de Kosovo decidiu designar tanto a ala política quanto militar do Hezbollah como organização terrorista, anunciou na terça-feira (23) o Primeiro-Ministro Avdullah Hoti via Twitter.

“O governo de Kosovo apoia todas as iniciativas globais de paz e segurança; então, hoje, decidimos por unanimidade declarar a organização Hezbollah, seu braço político e militar, como entidade terrorista no território de Kosovo”, escreveu Hoti.

A Ministra de Relações Exteriores e da Diáspora Meliza Haradinaj reportou: “O governo de Kosovo decidiu declarar tanto o braço político quanto militar do Hezbollah como organização terrorista no território da República. A decisão contribui para proteger e avançar em interesses nacionais, regionais e globais.”

O governo kosovar designou a ala militar do Hezbollah como ente terrorista em 2019 e agora estendeu a designação para incluir a ala política do partido libanês, após proposta apresentada pela chancelaria.

A maioria das nações europeias diferencia o braço político e militar do Hezbollah, conforme determinação de 2013 promulgada pela União Europeia, que considera apenas a vertente militar como ente terrorista.

LEIA: Ao banir o Hezbollah, a Alemanha curva-se à pressão sionista, mas sem muita relevância

Nos últimos anos, porém, diversos estados romperam o consenso europeu e passaram a designar como terrorista toda a organização.

O Parlamento da Áustria convocou o governo a assumir medidas para classificar toda o grupo libanês como terrorista. Reino Unido e Holanda já caracterizam ambas as alas do Hezbollah como terrorista.

Mais recentemente, Alemanha também passou a designar o partido libanês como “organização terrorista xiita” e conduziu incursões contra mesquitas e associações ligadas ao grupo em todo seu território.

O líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, alega que as alas do partido são necessariamente interligadas e classificou a medida como “decisão política que reflete a submissão da Alemanha à vontade dos Estados Unidos e à satisfação de Israel.”

Não obstante, em discurso televisionado no início de maio, Nasrallah afirmou esperar que mais países europeus acompanhem a decisão alemã, apesar de argumentar veementemente que sua organização cessou atividades “em todo o mundo; em particular na Europa” há anos.

Estados Unidos e Canadá já classificam o Hezbollah como terrorista. O governo americano oferece milhões de dólares como recompensa por informações sobre figuras proeminentes do grupo libanês.

LEIA: Carreata do Hezbollah celebra retirada de Israel no perímetro da fronteira com o Líbano

Categorias
AlemanhaEuropa & RússiaKosovoLíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments