Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Sindicato da Tunísia alerta contra ‘desmantelar o estado’

Protesto convocado pela União Geral Tunisiana do Trabalho (UGTT) para reivindicar reformas prometidas na região de Kairouan, Túnis, 3 de dezembro de 2020 [Yassine Gaidi/Agência Anadolu]

A União Geral Tunisiana do Trabalho (UGTT) exortou o presidente Kais Saied a compor um governo interino para enfrentar as crises sociais, econômicas e sanitárias que assolam o país, e assegurar a continuidade de todos os deveres do estado.

Em 25 de julho, Saied apelou ao Artigo 80 da Constituição para destituir o premiê Hicham Mechichi, congelar o parlamento, revogar a imunidade de ministros e indicar a si mesmo como chefe máximo da autoridade executiva até a formação de um novo governo.

No entanto, o presidente conservador, sem partido, ainda prorroga a indicação de um novo primeiro-ministro. A maioria dos partidos rejeita as decisões de Saied, prorrogadas indefinidamente no fim de agosto; críticos denunciam golpe de estado.

A proeminente entidade sindical destacou a urgência de “acelerar a convocação de um governo reduzido, capaz de proporcionar o ambiente adequado para superar a crise e representar o estado tunisiano em todos os fóruns internacionais”.

A UGTT — maior organização trabalhista da Tunísia — alertou em nota: “Qualquer demora neste caminho aprofundará a crise e poderá desmantelar e ameaçar o estado”.

“É preciso determinar o fim do período excepcional e as medidas subsequentes, para sairmos da crise política e do colapso geral dos órgãos públicos”, acrescentou o sindicato.

Tais avanços serão conquistados “conforme consulta e participação … para debater posteriormente alternativas políticas e desenvolvimento nacional e instituir um sistema que cumpra a legitimidade política e popular”, concluiu o comunicado.

LEIA: Presidente da Tunísia rejeita diálogo com ‘traidores’

Categorias
ÁfricaNotíciaTunísia
Show Comments
Show Comments