Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Presidente da Tunísia elogia exército por impedir presidente do parlamento de acessá-lo

Forças tunisianas tomam medidas de segurança em torno do parlamento durante um protesto contra a suspensão do parlamento, em Túnis, Tunísia, em 26 de julho de 2021 [Yassine Mahjoub/AFP/Getty Images]

O presidente tunisiano, Kais Saied, elogiou ontem os militares do país depois de impedir o presidente do parlamento, Rached Ghannouchi, e vários legisladores de entrarem no prédio do parlamento em julho.

Na manhã de 26 de julho, Ghannouchi e a vice-presidente da Câmara dos Representantes do Povo, Samira Chaouachi, tentaram entrar no parlamento e foram impedidos pelo exército. Chaouachi disse aos soldados: “Juramos proteger a constituição”, e foi dito em resposta: “Juramos proteger a nação”.

Chaouachi, então, replicou: “Assim como nós”.

Saied disse que os militares seriam “imortalizados pela história”.

LEIA: Saied usa estado de emergência é usado para restringir liberdades na Tunísia

Em 25 de julho, o presidente tunisiano, Kais Saied, citou o artigo 80 da constituição para demitir o primeiro-ministro Hicham Mechichi, congelar o trabalho do parlamento por 30 dias, levantar a imunidade dos ministros e nomear-se chefe do poder executivo até a formação de um novo governo.

Isso aconteceu depois que protestos violentos estouraram em várias cidades tunisianas criticando a forma como o governo lida com a economia e o coronavírus. Os manifestantes pediram a dissolução do parlamento.

A maioria dos partidos políticos do país considerou a medida um “golpe contra a constituição” e as conquistas da revolução de 2011.

Categorias
ÁfricaNotíciaTunísia
Show Comments
Show Comments