Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Mulher do Reino Unido diz que os Emirados Árabes negaram seu visto de trabalho devido à descendência somali

A bandeira da Somália, 27 de setembro de 2016 [Flickr/Amisom Public Information]
A bandeira da Somália, 27 de setembro de 2016 [Flickr/Amisom Public Information]

Os Emirados Árabes se recusaram a emitir um visto de trabalho para uma mulher britânica, supostamente devido à sua descendência somali.

A mulher, chamada Samia, acessou o Twitter ontem para anunciar que uma escola nos Emirados Árabes inicialmente lhe ofereceu uma posição que ela chamou de “sonho que se tornou realidade”. O departamento de recursos humanos então a contatou, informando-a de que o governo não emitirá visto de trabalho e que sua oferta foi revogada.

Ela citou sua etnia como o fator determinante da recusa, alegando: “Como sou descendente de somalis, apesar de nascida e criada na Inglaterra, os Emirados Árabes não me oferecem visto de trabalho”.

Nas capturas de tela dos e-mails que ela postou, nos quais expressou sua preocupação com o racismo, a escola e seu diretor assistente não negaram que o motivo era sua herança somali.

“Eu realmente não posso acreditar que [os] Emirados Árabes não estão me permitindo ter um visto por causa da minha etnia somali”, disse ela. “Ninguém está nem mesmo negando o motivo do racismo. Eles disseram que é uma pena. Eles não podem fazer nada com clareza.”

Em novembro, os Emirados Árabes suspenderam a emissão de vistos para cidadãos da Somália e de 12 outros países.

As relações entre a Somália e os Emirados se deterioraram muito ao longo dos anos, com Mogadíscio em 2018 rejeitando um acordo portuário entre os Emirados Árabes e o estado autodeclarado soberano da Somalilândia, que alegou infringir sua soberania.

As autoridades somalis prenderam, então, uma rede de espionagem dos Emirados que operava no país em 2019. Em junho do ano passado, Mogadíscio também rejeitou uma oferta de Abu Dhabi para reabrir o Hospital Sheikh Zayed – que oferecia assistência médica gratuita aos somalis até ser fechado em 2018 – em retorno para a Somália ingressando na guerra no Iêmen.

O caso mais recente de tensões ocorreu há dois meses, quando a Somália acusou os Emirados Árabes de encorajar distúrbios dentro do país e menosprezar seu governo.

LEIA: Emirados Árabes Unidos: a corrida para o Chifre da África

Categorias
ÁfricaEmirados Árabes UnidosEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioReino UnidoSomália
Show Comments
Show Comments