Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Noiva de Khashoggi consegue abrir processo contra o príncipe saudita

Hatice Cengiz, noiva do jornalista Jamal Khashoggi, fala à imprensa ao sair do tribunal de Istambul em 3 de julho de 2020 [Ozan Kose/ AFP via Getty Images]
Hatice Cengiz, noiva do jornalista Jamal Khashoggi, fala à imprensa ao sair do tribunal de Istambul em 3 de julho de 2020 [Ozan Kose/ AFP via Getty Images]

Os advogados da noiva do jornalista saudita assassinado, Jamal Khashoggi, Hatice Cengiz, e do grupo de defesa Democracia para o Mundo Árabe Agora (DAWN), tiveram aceita sua queixa contra o príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman (MBS) no Tribunal  do Distrito Federal de Columbia, em 20 de outubro de 2020.

A denúncia alega que o príncipe herdeiro de 35 anos, amplamente conhecido como MBS, e vários outros oficiais sauditas haviam ” em uma conspiração e com premeditação, sequestrado, amarrado, drogado e torturado, e assassinado o jornalista residente nos Estados Unidos e defensor da democracia, Jamal Khashoggi, dentro do consulado saudita em Istambul, Turquia, “e que o assassinato causou sorimento e danos graves aos demandantes.

O processo prossegue dizendo que “a tortura implacável e o assassinato do Sr. Khashoggi chocaram a consciência das pessoas em todo o mundo. O objetivo do assassinato foi claro – interromper a defesa que o Sr. Khashoggi nos Estados Unidos, principalmente como diretor executivo da Requerente Dawn [Democracia para o Mundo Árabe Agora], fazia de uma reforma democrática no mundo árabe. ”

LEIA: Os EUA responsabilizarão a Arábia Saudita pelo assassinato de Jamal Khashoggi?

O processo civil recorreu à Lei de Reivindicações de Delito Estrangeiro e à Lei de Proteção à Vítima de Tortura.

Três advogados da firma que representam MBS, Kellogg, Hansen, Todd, Figel & Frederick, foram citados nos autos do tribunal. Eles foram notificados exigindo o comparecimento do “réu Sua Alteza Real Mohammed Bin Salman Bin Abdulaziz Al Saud, Príncipe Herdeiro do Reino da Arábia Saudita”.

Faisal Gill, sócio-gerente do Gill Law Firm, e um dos advogados que representam Cengiz e Dawn, disse ao Independent: “Este é um momento importante. Os advogados do príncipe herdeiro compareceram ao tribunal e isso significa que o caso agora pode prosseguir. ”

Vamos punir todos os envolvidos, diz cinicamente o príncipe MBS sobre a morte de Jamal Khashoggi - Charge [Sabaaneh / Monitor do Oriente Médio]

Vamos punir todos os envolvidos, diz cinicamente o príncipe MBS sobre a morte de Jamal Khashoggi – Charge [Sabaaneh / Monitor do Oriente Médio]

Explicando os objetivos mais amplos, Gill disse: “Este processo visa não apenas responsabilizar a MBS e outros altos funcionários da Arábia Saudita pelo assassinato de Jamal, mas também avisar o governo saudita e outros governos abusivos de que pagarão um preço por tais mortes extrajudiciais de jornalistas e ativistas. ”

Em comentários relacionados ao caso, Sarah Leah Whitson, diretora executiva da DAWN, disse: “Estamos comprometidos em responsabilizar o príncipe herdeiro Mohamed bin Salman em um tribunal pelo assassinato de nosso fundador, Jamal Khashoggi, e agradecemos ao juiz Bates que aprovou nossa moção por um serviço (judiciário) alternativo. ”

Referindo-se à decisão dos Estados Unidos de não punir o MBS, Whitson acrescentou: “Embora o MBS possa ter evitado as sanções de nosso governo por seu papel no assassinato, ele não vai escapar de ser processado por nosso sistema judicial pelos danos que nos causou e Cengiz. ”

No mês passado, o presidente Joe Biden divulgou um relatório da inteligência dos EUA que concluiu que a MBS aprovou o assassinato de Khashoggi. No entanto, apesar de sua promessa de punir o MBS dizendo que faria os sauditas “pagarem o preço e torná-los de fato o pária que são”, o novo governo desapontou grupos de direitos humanos ao não cumprir seu compromisso.

O dissidente saudita Khalid Al-Jabri alertou sobre as consequências do fracasso de Biden em impor penalidades ao MBS, dizendo que as vidas de figuras da oposição saudita estão em grave perigo. Em agosto, o ex-oficial da inteligência saudita exilado abriu um processo próprio contra a MBS, acusando o príncipe herdeiro de aprovar seu assassinato.

LEIA: Plano de Bin Salman sai pela culatra, trolls garantem sucesso do documentário sobre Khashoggi

Categorias
Arábia SauditaÁsia & AméricasEstados UnidosEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioTurquia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments