Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

EUA diz que o príncipe herdeiro saudita aprovou operação de Khashoggi

Um manifestante segura um pôster retratando o jornalista saudita Jamal Khashoggi, em 25 de outubro de 2018. [Yasin Akgul/AFP/Getty Images]
Um manifestante segura um pôster retratando o jornalista saudita Jamal Khashoggi, em 25 de outubro de 2018. [Yasin Akgul/AFP/Getty Images]

A comunidade de inteligência dos EUA culpou formalmente o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, pelo terrível assassinato em 2018 do colunista Jamal Khashoggi do Washington Post, relatou a Anadolu Agency.

O relatório desclassificado do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional, há muito procurado, concluiu, baseado fortemente na análise da CIA, que o governante do Reino “aprovou” e quase certamente ordenou o assassinato.

“Baseamos esta avaliação no controle do Príncipe Herdeiro da tomada de decisões no Reino, no envolvimento direto de um conselheiro-chave e membros da equipe de proteção de Muhammad bin Salman na operação e no apoio do Príncipe Herdeiro ao uso de medidas violentas para silenciar dissidentes no exterior, incluindo Khashoggi”, diz o relatório.

Khashoggi foi brutalmente morto e provavelmente esquartejado depois de ser atraído para o consulado saudita em Istambul, Turquia, em outubro de 2018, por oficiais sauditas. Embora Riad tenha inicialmente negado qualquer papel em sua morte, mais tarde procurou colocar a culpa no que eles disseram ter sido uma operação de entrega fracassada.

LEIA: Biden destaca direitos humanos em conversa com rei saudita

Os restos mortais de Khashoggi nunca foram encontrados em meio a especulações de que eles foram dissolvidos em um tanque de ácido no prédio diplomático.

Essa explicação foi amplamente rejeitada pela ONU e por um grupo de legisladores dos EUA que sustentam a culpa de Bin Salman.

A avaliação da inteligência não é nova. O ex-presidente norte-americano Donald Trump bloqueou a divulgação do documento enquanto tentava consistentemente proteger Bin Salman da culpa em um assassinato que abalou o mundo.

Mas o governo Biden priorizou sua publicação, apesar das repercussões para a relação EUA-Arábia Saudita.

Categorias
Arábia SauditaÁsia & AméricasEstados UnidosNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments