Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

França homenageia Egito com maior prêmio do país e proíbe acesso da imprensa

Presidente da França, Emmanuel Macron (L) dá as boas-vindas ao Presidente do Egito, Abdel Fattah Al-Sisi (R) antes das conversas no Palácio o Eliseu, em Paris, França, em 7 de dezembro de 2020. [Julien MattiaAgência Anadolu]
Presidente da França, Emmanuel Macron (L) dá as boas-vindas ao Presidente do Egito, Abdel Fattah Al-Sisi (R) antes das conversas no Palácio o Eliseu, em Paris, França, em 7 de dezembro de 2020. [Julien MattiaAgência Anadolu]

A França tentou impedir que a mídia descobrisse sobre uma cerimônia nacional de premiação da imprensa, em que premiou o presidente egípcio com a Grande Cruz da Legião de Honra.

Uma investigação do Le Quotidien revelou que a mídia francesa não foi autorizada a assistir à cerimônia em que o presidente Abdel Fattah Al-Sisi recebeu o maior prêmio do país.

O evento foi deliberadamente não listado no site do Palace Eliseu, de acordo com o programa.

A recente visita de Al-Sisi à França tem sido o foco de intensas críticas de defensores dos direitos humanos, que pediram ao governo francês que denuncie as violações dos direitos humanos no Egito, em vez de continuar a fechar os olhos.

O encontro entre o presidente egípcio e seu homólogo francês Emmanuel Macron ocorreu não muito depois da prisão de três altos funcionários da Iniciativa Egípcia pelos Direitos Pessoais (EIPR) que foram presos depois de comparecerem a uma reunião com diplomatas ocidentais no Cairo para discutir preocupações com direitos humanos no país.

LEIA: Netanyahu fará a primeira visita oficial ao Egito na década

Eles foram libertados, mas 60.000 presos políticos permanecem na prisão, onde são sistematicamente torturados e não recebem assistência médica, visitas de familiares e seus direitos humanos básicos.

Um foco especial após o anúncio da notícia do encontro foi a venda de armas entre os dois países, que em 2019 atingiu US$ 1,1 bilhão, apesar das obrigações internacionais da França proibindo a venda de armas a países onde há um alto risco de serem usadas para cometer graves violações de direitos .

Em janeiro, a Ópera Semper Opernball da Alemanha, em Dresden, concedeu a Ordem de São Jorge a Al-Sisi, supostamente em reconhecimento aos seus esforços de pacificação no Norte da África.

A pressão cresceu sobre a organização para retirar o prêmio, levando o chefe da associação de organizadores a admitir que foi um erro, mas sem deixar-se de apresentá-lo.

LEIA: Egito executa 57 em dois meses em ‘horrível onda de execuções’

Categorias
ÁfricaEgitoEuropa & RússiaFrançaNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments