Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Líbano tem reunião de emergência com aumento de protestos

https://twitter.com/timourazhari/status/1271173642349666313
https://twitter.com/timourazhari/status/1271173642349666313

O primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, convocou uma sessão de emergência nesta manhã, após uma noite de protestos crescentes sobre a terrível situação econômica e o colapso da moeda. Segundo Naharnet, Diab cancelou todos os compromissos para discutir a crise financeira.

A medida ocorre depois que o valor da libra libanesa (também conhecida como Lira) caiu para uma taxa de 7.000 liras para 1 dólar em algumas casas de câmbio ontem, de acordo com um relatório da Arab News. Isso é 150% a mais do que nas últimas semanas, durante as quais a taxa do mercado negro ficou em torno de 4.500L a US$ 1. Oficialmente, a moeda está atrelada a 1.507,5 Lira para US$ 1, mas perdeu mais de 60% de seu valor desde o início dos protestos contra o governo em outubro passado.

A rápida desvalorização da Lira levou milhares de libaneses às ruas em protesto na noite passada, em números não vistos desde outubro. As estradas do país foram bloqueadas e várias agências do Banco Central do Líbano foram incendiadas e vandalizadas.

Post com vídeo mostra momento em que a agência do banco central é incendiada n cidade de Trípoli, no norte do país.

Em Beirute, manifestantes mostraram sua oposição ao sectarismo, numa surpreendente demonstração de unidade, considerando os confrontos da semana passada entre os apoiadores de Amal e Hezbollah, o exército e os manifestantes.

LEIA: Sistema de tratamento de resíduos do Líbano prejudica saúde local, denuncia HRW

Segundo o Daily Star, protestos ocorreram em toda a capital, inclusive em alguns subúrbios do sul que são tradicionalmente redutos do Hezbollah. Também ocorreram manifestações em cidades e vilas do país, incluindo Trípoli, Sidon e Tiro.

Os manifestantes reclamaram dos níveis crescentes de fome e desemprego causados ​​pela crise econômica e agravados pelo bloqueio do coronavírus. Segundo estimativas do Banco Mundial, mais da metade da população do Líbano vive na pobreza e precisa de ajuda financeira para as necessidades diárias.

Esta manhã, muitas casas de câmbio em todo o Líbano foram fechados em protesto contra a espiral da taxa de câmbio, mesmo quando as principais estradas foram reabertas. No entanto, o chefe do sindicato dos cambistas disse que seus membros estão comprometidos em vender dólares a uma taxa de 3.940 liras a 1 dólar, em vez da taxa de 7.000 vista ontem, com o Banco Central a injetar dinheiro suficiente no mercado para atender a demanda.

O canal árabe Al-Jadeed, no entanto, informou nesta manhã as tentativas de expulsar o governador do Banco Central, Riad Salameh, que foi amplamente responsabilizado pela crise econômica, enquanto os protestos da noite passada pediram a renúncia de Diab e seu governo. Ainda não está claro se haverá demissões.

LEIA: Libaneses retomam protestos antigovernamentais à medida que o bloqueio diminui

Categorias
LíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments