Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Libaneses retomam protestos antigovernamentais à medida que o bloqueio diminui

Os manifestantes, muitos usando máscaras e carregando a bandeira nacional, convergiram para uma praça principal em Beirute, que foi um epicentro de protestos no ano passado

As forças de segurança libanesas tomam medidas de segurança enquanto milhares de pessoas se reúnem na Praça dos Mártires durante uma manifestação  contra a crise econômica e o alto custo de vida, em 06 de junho de 2020 em Beirute, Líbano [Hussam Chbaro / Anadolu Agency]

Manifestantes libaneses posam para uma foto na Praça dos Mártires durante uma manifestação para protestar contra a crise econômica e o alto custo de vida, em 6 de junho de 2020 em Beirute, Líbano [Hussam Chbaro / Agência Anadolu]

Milhares de pessoas se reúnem em Praça dos Mártires durante uma manifestação em protesto contra a crise econômica e o alto custo de vida, em 06 de junho de 2020 em Beirute, Líbano [Hussam Chbaro / Agência Anadolu]

Várias centenas de manifestantes libaneses saíram às ruas no sábado, com algumas atirando pedras,  exigindo que o governo se demita devido à uma profunda crise econômica e as dificuldades aumentando, informou a Reuters.

Os manifestantes, muitos usando máscaras e carregando a bandeira nacional, convergiram para uma praça principal em Beirute, que foi um epicentro de protestos no ano passado, mas que tem estado principalmente vazia nos últimos meses, em parte devido ao bloqueio de coronavírus.

LEIA: Manifestantes do Líbano oferecem dicas de segurança e apoio aos protestos nos EUA

Com a maioria das restrições de vírus agora suspensas e as condições econômicas piorando, houve retomada dos protestos com pedidos para que o governo de cinco meses se demita e que eleições parlamentares antecipadas fossem realizadas.

Outros exigiram que o poderoso grupo paramilitar xiita Hezbollah fosse desarmado.

Alguns manifestantes atiraram pedras nas forças de segurança e destruíram fachadas de lojas no sofisticado distrito comercial de Beirute. As forças de segurança disparararam gás lacrimogêneo, como mostraram imagens de emissoras libanesas.

O primeiro-ministro Hassan Diab assumiu o cargo em janeiro, com o apoio do Hezbollah, apoiado pelo Irã e seus aliados, depois que o governo anterior foi derrubado pelos protestos.

O governo de Diab está em diálogo com o Fundo Monetário Internacional para um programa de reforma econômica que espera garantir bilhões de dólares em financiamento e desencadear uma recuperação.

A crise financeira de longa data do Líbano estourou em outubro passado, com protestos em massa contra a elite quando uma crise do dólar levou os bancos a impor rígidos controles de capital.

LEIA: Ensino no Líbano está ameaçado pelo coronavírus e crise econômica, relata Save the Children

A situação piorou desde então. A moeda da libra perdeu mais da metade de seu valor no mercado paralelo, os preços dispararam e as empresas que lidam com o golpe duplo do coronavírus cortaram empregos.

Categorias
CoronavírusLíbanoNotíciaOriente MédioVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments