Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Abbas minimiza comentário que fez sobre ’50 holocaustos’

O presidente palestino Mahmoud Abbas na Chancelaria em Berlim, Alemanha, em 29 de agosto de 2019 [Abdülhamid Hoşbaş/Agência Anadolu]

Após o alvoroço de Israel depois que o presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmoud Abbas, disse a um jornalista alemão que a ocupação israelense cometeu “50 holocaustos” contra os palestinos, ele recuou da acusação.

O jornalista alemão perguntou se ele estaria pronto para se desculpar com Israel pelo ataque de Munique à equipe esportiva israelense em 1972, Abbas disse: “Se quisermos ir mais longe no passado, sim, por favor, tenho 50 massacres cometidos por Israel.”

Ao lado do chanceler alemão Olaf Schols, Abbas acrescentou: “Cinquenta massacres, 50 holocaustos e até hoje, todos os dias, temos pessoas mortas pelo exército israelense”.

O primeiro-ministro israelense Yair Lapid tuitou: “Mahmoud Abbas acusar Israel de ter cometido ’50 Holocaustos’ enquanto estava em solo alemão não é apenas uma desgraça moral, mas uma mentira monstruosa. A história não o perdoará”.

LEIA: Comentários de Abbas sobre Holocausto criam onda de protesto

Junto com Lapid e o chanceler alemão Olaf Schols, muitos outros oficiais israelenses criticaram os comentários de Abbas.

Em um comunicado divulgado por seu gabinete, Abbas reafirmou que o Holocausto “é o crime mais hediondo da história humana moderna”.

Ele acrescentou que sua resposta “não pretendia negar a singularidade do Holocausto que ocorreu no século passado”.

A declaração dizia: “O que se entende por crimes que o presidente Mahmoud Abbas falou são os crimes e massacres cometidos contra o povo palestino desde a Nakba nas mãos das forças israelenses. Esses crimes não pararam até hoje”.

Categorias
AlemanhaEuropa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments