Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Atirador de Israel que matou Shireen não a viu

O atirador israelense que disparou a bala real que matou a jornalista Shireen Abu Akleh afirmou que não a viu e não sabia quem ela era, informou o Haaretz ontem.

Um oficial do exército de Israel disse ao jornal que um soldado sentado em um veículo do exército com um rifle equipado com uma lente telescópica disparou contra Abu Akleh a 190 metros de distância, matando-a.

O soldado disse que não sabia que havia atirado em Abu Akleh quando disparou, não a viu e não sabia sua identidade, acrescentou o jornal.

O soldado tentou atingir um palestino armado que apareceu atrás do muro em que os jornalistas estavam abrigados, afirmou a investigação. “Os jornalistas estavam a uma curta distância atrás dele”, acrescentou.

LEIA: Shireen Abu Akleh personificou a verdade diante do poder

Na quarta-feira passada, Israel assassinou a jornalista da Al Jazeera Shireen Abu Akleh, enquanto ela cobria o ataque do exército de ocupação ao campo de refugiados de Jenin. A mulher, de 51 anos, estava vestindo um colete à prova de balas exibindo claramente a palavra ‘imprensa’ e usava um capacete, no entanto uma bala de atirador entrou em sua cabeça pela orelha, matando-a. Colegas ao redor dela também foram baleados enquanto tentavam resgatá-la.

Israel mata a tiros a jornalista da Al Jazeera Shireen Abu Akleh durante a invasão de Jenin [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments