Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Lobby de Israel tenta remover rapper britânico pró-Palestina do Spotify

Lowkey, também conhecido como Kareem Dennis, é um rapper e ativista britânico iraquiano baseado em Londres [London Real/Twitter]

Um grupo de lobby pró-Israel britânico está exigindo que o Spotify exclua a música do rapper e ativista de solidariedade à Palestina Kareem Dennis, mais conhecido por seu nome artístico, ‘Lowkey’.

We Believe in Israel, um grupo de base britânico pró-Israel, disse que a medida faz parte de seus esforços para remover “dezenas de casos de material problemático, incluindo a música de Lowkey [2010], “Long Live Palestine – Part 2”.

Em entrevista ao Jewish News, o diretor de We Believe in Israel, Luke Akehurst, afirmou: “O Spotify tem a responsabilidade de manter as regras de sua plataforma que afirmam claramente que conteúdo que promova, ameace ou incite à violência é inaceitável. Nossa pesquisa tem identificado dezenas de tais violações, e esperamos que sejam tomadas medidas oportunas”.

“Após os altos níveis de antissemitismo experimentados pelos judeus britânicos durante e após a escalada de hostilidades entre Israel e o Hamas em maio passado, é notável que o conteúdo que incita diretamente à violência e ao ódio permaneça disponível.”

LEIA: Os fabricantes dos drones mortais de Israel continuam a escapar da justiça britânica

A música que o grupo pró-Israel está fazendo campanha para banir apresenta o grupo de hip-hop palestino DAM, artistas palestinos britânicos, Shadia Mansour, rapper iraquiano-canadense, Narcy, entre outros.

No entanto, em resposta, Kareem descreveu isso como uma campanha coordenada para brutalizar os palestinos.

“Os palestinos são rotineiramente presos por Israel por postagens nas mídias sociais, até mesmo crianças. Dareen Tatour passou quase um ano na prisão por postar um poema em seu Facebook”, disse ele ao Middle East Eye.

“A tentativa de remover minha música do Spotify por um grupo que nasceu e foi cultivado pelo BICOM (Britain Israel Communications and Research Centre), trabalhou com o Ministério de Assuntos Estratégicos e se identificou publicamente como um grupo de lobby de Israel é, em última análise, um objetivo próprio para o regime do apartheid”.

O rapper britânico-iraquiano foi submetido a tentativas de censura no passado.

Mais recentemente, um grupo de lobby israelense tentou, sem sucesso, cancelar sua aparição na Universidade de Cambridge no início deste ano. No entanto, um grupo de lobby israelense foi bem-sucedido em removê-lo de uma conferência da União Nacional de Estudantes (NUS).

“Artistas e músicos nunca devem temer ameaças à sua subsistência ou pessoa pela música que fazem. Não seremos silenciados na Palestina, nem agora, nem nunca”, acrescentou.

Categorias
Europa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaReino Unido
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments