Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Senadores dos EUA pretendem bloquear venda de armas para os sauditas

Presidente dos Estados Unidos em Washington, DC em 15 de novembro de 2021 [Kyle Mazza / Anadolu Agency]

Um grupo de senadores americanos se opõe à primeira grande venda de armas do governo Biden ao Reino da Arábia Saudita por causa do envolvimento de Riad no conflito no Iêmen, informou  a Reuters.

Uma resolução conjunta de desaprovação à proposta de US$ 650 milhões em vendas de armas dos EUA ao Reino da Arábia Saudita foi apresentada pelos republicanos, Rand Paul e Mike Lee, bem como por Bernie Sanders, que se unem aos democratas.

Embora muitos legisladores dos EUA considerem a Arábia Saudita um parceiro importante no Oriente Médio, eles criticaram o país por seu envolvimento na guerra do Iêmen, um conflito considerado um dos piores desastres humanitários do mundo. Eles se recusaram a aprovar muitas vendas militares para o Reino sem garantias de que o equipamento dos EUA não seria usado para matar civis.

Ativistas disseram que a Arábia Saudita fez forte lobby contra a extensão do mandato dos investigadores das Nações Unidas que documentaram possíveis crimes de guerra no Iêmen tanto pela coalizão liderada por Riad quanto pelo movimento Houthi.

O pacote que foi aprovado pelo Departamento de Estado incluiria 280 AIM-120C-7 / C-8 mísseis ar-ar de médio alcance avançado (AMRAAM), 596 LAU-128 lançadores ferroviários de mísseis (MRL), juntamente com contêineres e equipamentos de apoio , peças de reposição, governo dos EUA e engenharia contratada e suporte técnico.

LEIA: Catar recebe o voto de confiança dos EUA por sua política externa pragmática

Em um comunicado, Paul disse: “Esta venda pode acelerar uma corrida armamentista no Oriente Médio e colocar em risco a segurança de nossas tecnologias militares.”

“Como o governo saudita continua travando sua guerra devastadora no Iêmen e reprimindo seu próprio povo, não devemos recompensá-lo com mais vendas de armas”, disse Sanders no comunicado conjunto.

A  Raytheon Technologies fabrica os mísseis.

O governo Biden disse que adotou uma política de vender apenas armas defensivas ao aliado do Golfo.

Quando o Departamento de Estado aprovou a venda, um porta-voz disse que a venda “é totalmente consistente com a promessa do governo de liderar com diplomacia o fim do conflito no Iêmen”. Os mísseis ar-ar garantem que “a Arábia Saudita tenha os meios para se defender de ataques aéreos Houthi apoiados pelo Irã”, disse ele.

A aprovação de uma venda pelo Departamento de Estado não é necessariamente a indicação de um contrato assinado.

Categorias
Arábia SauditaEstados UnidosNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments