Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Instituto dos EUA informa que ex-comandante saudita no Iêmen foi condenado à morte

Tenente-general Fahd bin Turki bin Abdulaziz al-Saud (dir.), comandante das forças de coalizão lideradas pelos sauditas no Iêmen, em 18 de julho de 2019 [Fayez Nureldine/AFP via Getty Images]

O ex-comandante da Arábia Saudita encarregado da guerra de coalizão no Iêmen foi condenado à morte após um julgamento militar, de acordo com um relatório ontem do Instituto para Assuntos do Golfo, com sede em Washington DC. A reportagem citou um de seus parentes, que falou sob condição de anonimato.

Fahd Bin Turki Bin Abdulaziz, um príncipe saudita sênior e sobrinho do rei Salman, foi aparentemente condenado à morte por traição após ser acusado de tentar um golpe para derrubar o rei e seu filho, o príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman. A fonte teria revelado mensagens de texto que recebeu de um ex-oficial de Riad, confirmando as acusações e a sentença de morte.

Em setembro do ano passado, foi relatado que Bin Turki foi demitido de seu cargo junto com seu filho, o príncipe Abdulaziz Bin Fahd, que era vice-governador da região de Al-Jawf. Ambos foram presos durante uma investigação sobre corrupção. Na época, um importante denunciante saudita, conhecido online como Mujtahidd, afirmou que as prisões eram na verdade o prelúdio de um golpe contra o MBS.

LEIA: Iminente retirada das tropas americanas da Arábia Saudita ocorre enquanto Washington tenta conter a China

O Instituto também disse que obteve “dezenas de documentos secretos sauditas detalhando a transferência de mais de 100 lotes residenciais em Riad para os quatro filhos de Fahd Bin Turki”.

Os documentos que vazaram do Ministério da Justiça saudita indicam que quase um quilômetro quadrado de terra foi dado aos quatro filhos de Bin Turki em 2014 durante o reinado de seu avô, o falecido rei Abdullah.

A fonte do relatório também acrescentou que a filha do falecido rei, Abeer, está exilada na Escócia desde antes da prisão de seu marido, Fahd Bin Turki, e do filho no ano passado. A sentença de morte é uma tentativa de recuperar o dinheiro, afirmou a fonte. Diz-se que a princesa Abeer controla bilhões de dólares em várias propriedades ao redor do mundo.

LEIA: Arábia Saudita executa soldados por ‘alta traição’

Categorias
Arábia SauditaIêmenNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments