Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Manifestantes palestinos forçam a polícia de Israel a se retirar do Portão de Damasco em Jerusalém

Forças israelenses intervêm contra palestinos enquanto se reúnem ao redor do Portão de Damasco após realizar a oração de Tarawih no Complexo Al-Aqsa, em Jerusalém Oriental, em 15 de abril de 2021 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]
Forças israelenses intervêm contra palestinos enquanto se reúnem ao redor do Portão de Damasco após realizar a oração de Tarawih no Complexo Al-Aqsa, em Jerusalém Oriental, em 15 de abril de 2021 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]

A polícia israelense foi forçada, na noite passada, a se retirar da área do Portão de Damasco, no centro de Jerusalém, devido a pesados protestos depois que a área foi fechada aos palestinos.

Desde o início do mês sagrado islâmico do Ramadã, as forças israelenses restringiram o movimento dos palestinos na área do Portão de Damasco e os proibiram de se reunir lá ou de realizar atividades religiosas.

As tensões aumentaram na semana passada, quando colonos israelenses judeus saíram às ruas e gritaram “morte aos árabes”, lançando ataques e ataques contra palestinos na cidade. Os protestos continuaram até que as forças de ocupação israelenses se retiraram da área, permitindo que as barricadas de ferro fossem removidas.

LEIA: Egito condena ataques recentes de Israel contra os palestinos

Nos quatro dias de confrontos, mais de 130 palestinos ficaram feridos e pelo menos 100 palestinos foram detidos. Apesar disso, centenas de palestinos foram vistos celebrando a retirada da polícia de como “uma vitória sobre os ocupantes israelenses” na noite passada.

Essa vitória foi perturbada, no entanto as forças israelenses retornaram uma hora depois e atacaram a multidão com gás lacrimogêneo e granadas de flash, prendendo mais três manifestantes.

Colonos extremistas de Israel continuam incitando os palestinos em Jerusalém [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Colonos extremistas de Israel continuam incitando os palestinos em Jerusalém [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

De acordo com um porta-voz da Polícia de Israel que falou à Reuters: “Foi ordenada a remoção das barreiras após consultas com autoridades religiosas, líderes locais e donos de lojas”. A decisão foi, então, tomada “para garantir paz e segurança para todos” na cidade.

As medidas tomadas para acalmar as tensões e interromper a agitação também foram resultado de apelos dos Estados Unidos para que as autoridades israelenses e colonos diminuíssem a violência contra os palestinos em Jerusalém.

LEIA: Grupo britânico exorta apoio internacional aos palestinos de Jerusalém

Categorias
Ásia & AméricasEleições PalestinasEstados UnidosIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments