Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Netanyahu cancelou visita aos Emirados Árabes, temendo mísseis houthis

Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu Aeroporto Ben Gurion perto de Tel Aviv, em 9 de dezembro de 2020 [Abir Sultan/ AFP via Getty Images]
Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu Aeroporto Ben Gurion perto de Tel Aviv, em 9 de dezembro de 2020 [Abir Sultan/ AFP via Getty Images]

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, revelou que cancelou sua primeira visita oficial aos Emirados Árabes na semana passada por temor de mísseis disparados das forças armadas iemenitas apoiadas pelos houthis, informou o Channel 13 de Israel. Ele deveria voar através do espaço aéreo da Arábia Saudita, e o Reino tem sido alvo de tais mísseis recentemente.

A rota alternativa teria levado Netanyahu através do espaço aéreo jordaniano, mas foi temporariamente fechada para ele devido a uma disputa entre Tel Aviv e Amã. O líder israelense teria feito tentativas de impedir voos de Amã usando o espaço aéreo israelense. Além disso, o príncipe herdeiro da Jordânia, Hussein Bin Abdullah, cancelou uma visita planejada à mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém após divergências sobre detalhes de segurança.

LEIA: Organização pró-houthi responsabiliza o grupo por mortes de refugiados em Sanaa

No início deste mês, o porta-voz do exército iemenita alinhado a Houthi, brigadeiro general Yahya Saree, afirmou que mísseis e drones foram usados ​​para atacar uma instalação petrolífera na cidade saudita de Jeddah e a Base Aérea King Khalid, no sudoeste da cidade de Khamis Mushait. Isso foi seguido pelo ataque da semana passada ao porto Ras Tanura da Saudi Aramco, a maior instalação de carregamento de petróleo offshore do mundo, o que levou os EUA a expressarem alarme com a frequência dos ataques.

Hoje, Saree também anunciou que a Força Aérea realizou ataques de drones contra o Aeroporto Internacional de Abha e a Base Aérea King Khalid novamente. Estas, acrescentou, “estavam no quadro do nosso direito natural e legítimo de responder aos crimes de agressão e ao cerco contínuo [da Arábia Saudita] ao nosso país”.

LEIA: Netanyahu lidera Israel em direção a uma ‘guerra civil’, afirma ex-ministro

Categorias
Emirados Árabes UnidosIêmenIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments