Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã rejeita presença militar da Turquia na Síria e no Iraque

Membros das Forças Armadas Turcas (TSK, na sigla em inglês) continuam operando em Ras Al Ayn, Síria, em 17 de outubro de 2019. [Behçet Alkan/Anadolu Agency]
Membros das Forças Armadas Turcas (TSK, na sigla em inglês) continuam operando em Ras Al Ayn, Síria, em 17 de outubro de 2019. [Behçet Alkan/Anadolu Agency]

O ministro das Relações Exteriores do Irã condenou a presença do exército turco na Síria e no Iraque. “Rejeitamos a presença militar turca na Síria e no Iraque e consideramos as políticas de Ancara em relação a Damasco e Bagdá erradas”, disse Mohammed Javad Zarif à Press TV ontem.

A Turquia e o Irã têm políticas regionais diferentes, especialmente na Síria. Ancara apoia alguns elementos da oposição, enquanto Teerã apoia o regime do presidente sírio Bashar Al-Assad, e tem presença militar própria no país.

Zarif, no entanto, enfatizou a afirmação do Irã de que seu único objetivo na Síria é combater o terrorismo, rótulo que atribui a todos os grupos de oposição.

LEIA: Irã diz à ONU que está pronto para ajudar a por fim à guerra do Iêmen

A entrevista com Zarif enfocou as sanções dos Estados Unidos e também as negociações entre o Irã e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, na sigla em inglês) sobre a inspeção de instalações nucleares no país. Na sequência dessas conversas ontem, um acordo temporário de três meses foi elaborado que permite à AIEA continuar a inspecionar os locais, mas com uma frequência reduzida.

Teerã também permitirá que a agência mantenha seu equipamento de gravação e dispositivos dentro das instalações nucleares que irão monitorar a atividade, mas todas as filmagens e o acesso às gravações serão mantidos pelo governo iraniano até que os EUA suspendam suas sanções ao país.

As declarações do ministro foram feitas no mesmo dia em que o presidente turco Recep Tayyip Erdogan e seu homólogo iraniano, Hassan Rouhani, conversaram por telefone e discutiram cooperação em áreas como transporte, economia e segurança. Erdogan enfatizou que seu governo “mantém a vontade necessária para fortalecer as relações turco-iranianas”.

LEIA: Turquia, Rússia e Irã concordam em prorrogar cessar-fogo em Idlib

Categorias
Europa & RússiaIrãIraqueNotíciaOriente MédioSíriaTurquia
Show Comments
Show Comments