Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Iêmen receberá vacina de covid-19 em março

Funcionários estabelecem um novo departamento para pacientes com coronavírus no Hospital Zaid em precauções contra a pandemia de coronavírus, em Sanaa, Iêmen, em 28 de março de 2020. [Mohammed Hamoud/Agência Anadolu]
Funcionários estabelecem um novo departamento para pacientes com coronavírus no Hospital Zaid em precauções contra a pandemia de coronavírus, em Sanaa, Iêmen, em 28 de março de 2020. [Mohammed Hamoud/Agência Anadolu]

O Iêmen espera um primeiro lote de 2,3 milhões de doses da vacina de covid-19 até março, por meio da instalação de compartilhamento de vacinas Covax, e a Arábia Saudita poderia financiar separadamente vacinas para cerca de 50% da população, disseram agências envolvidas com a Reuters.

Seis anos de guerra no Iêmen geraram o que as Nações Unidas descrevem como a maior crise humanitária do mundo. O pouco que resta de seu sistema de saúde depende de ajuda externa.

“O governo do Iêmen se candidatou à iniciativa Covax para cobrir as necessidades iniciais de 23% da população do Iêmen, cerca de 14 milhões de doses”, disse à Reuters Philippe Duamelle, representante do UNICEF no Iêmen.

“Uma primeira alocação de 2,3 milhões de doses já foi confirmada e deve estar disponível até o final de fevereiro, início de março, dependendo da disponibilidade de vacinas dos fornecedores.”

A Covax é coliderada pela aliança GAVI, que garante vacinas para países pobres, a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Coalizão para Inovações de Preparação para Epidemias e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

O Iêmen receberá a vacina AstraZeneca por meio da Covax, pois ela pode ser usada na infraestrutura de cadeia de frio existente, disse Duamelle.

LEIA: 600 famílias do Iêmen deslocadas em janeiro, reporta ONU

O objetivo é vacinar 70% da população do Iêmen. O Ministério da Saúde do governo internacionalmente reconhecido do Iêmen disse hoje que solicitou ao Centro de Ajuda Humanitária e Ajuda Humanitária King Salman da Arábia Saudita (KSRelief) o financiamento de vacinas para 50% da população.

KSRelief não pôde ser encontrado imediatamente para comentar. O ministro das finanças saudita disse, no mês passado, que seu país estava conversando com fabricantes para fornecer vacinas de covid-19 para países de baixa renda, incluindo o Iêmen.

O Iêmen está dividido entre o governo temporariamente baseado no sul e o movimento Houthi que o tirou do poder na capital, Sanaa, no norte, no final de 2014. Uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita interveio no início de 2015 para retornar o governo ao poder.

Autoridades de saúde houthi disseram à Reuters que não têm dinheiro ou planos para comprar vacinas.

O governo do Iêmen relatou 2.122 casos de coronavírus, incluindo 615 mortes. As autoridades houthi, que controlam a maioria dos grandes centros urbanos, não fornecem números desde maio, quando disseram que houve quatro casos e uma morte.

A ONU e agências de ajuda humanitária dizem que esses números oficiais subestimam amplamente a disseminação do vírus.

 

Categorias
CoronavírusIêmenNotíciaOMSONUOrganizações InternacionaisOriente MédioUNICEF
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments