Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Reator dos Emirados Árabes Unidos produzirá resíduos nucleares perigosos, afirma Greenpeace

Usina nuclear de Barakah, primeira estação de energia nuclear dos Emirados Árabes Unidos [Wikipedia]
Usina nuclear de Barakah, primeira estação de energia nuclear dos Emirados Árabes Unidos [Wikipedia]

A ong ambiental Greenpeace condenou o início das operações da primeira unidade dos reatores da usina nuclear de Barakah, nos Emirados Árabes Unidos, reportou a rede Al Jazeera. A usina nuclear foi inaugurada após sucessivos atrasos, devido a diversos problemas de segurança.

O Greenpeace acredita que o projeto “é um investimento fútil em tecnologia equivocada, que resultará somente no esgotamento dos escassos recursos de água dos Emirados”.

A ong enfatizou que a energia nuclear não é a energia do futuro. “Certamente, não é a solução, pois deixará nada mais que um legado de corrupção radioativa e perigosos detritos nucleares para as gerações futuras.”

O Greenpeace ainda destacou que os Emirados Árabes Unidos escolheu a energia nuclear em um momento no qual países de todo o mundo – Alemanha, por exemplo – optam por dispensá-la gradualmente.

Sobretudo, prosseguiu, construir uma usina nuclear em um país que sofre de escassez de água é um investimento desmesurado e perigoso, particularmente, em uma região exposta a conflitos que impõem ainda maior ameaça à população com a presença de reatores atômicos.

LEIA: Congressistas criticam manobra de Trump para venda de armas para sauditas e Emirados

Categorias
EAUNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments