Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Família perdoa no Ramadã os assassinos de Khashoggi

Vigília à luz de velaslembra o jornalista Jamal Khashoggi do lado de fora do consulado da Arábia Saudita, em 25 de outubro de 2018, em Istambul , Turquia [Chris McGrath/ Getty Images]

A família do jornalista saudita morto Jamal Khashoggi disse que perdoou quem matou o pai, informa a Agência Anadolu.

“Nesta noite abençoada do mês abençoado (do Ramadã), lembramos que Deus disse: ‘Se uma pessoa perdoa e faz reconciliação, sua recompensa é devida a Allah'”, disse o filho Salah Khashoggi em um tweet.

“Portanto, nós, os filhos do mártir Jamal Khashoggi, anunciamos que perdoamos aqueles que mataram nosso pai, buscando recompensa de Deus todo-poderoso.”

Khashoggi, colunista do The Washington Post, foi morto e desmembrado por um grupo de agentes sauditas logo após entrar no consulado do país em Istambul, em 2 de outubro de 2018.

Riyad ofereceu várias narrativas conflitantes para explicar seu desaparecimento antes de reconhecer que ele foi assassinado no edifício diplomático, enquanto procurava culpar sua morte por uma operação mal feita de entregas executada por agentes desonestos.

O corpo de Khashoggi nunca foi encontrado.

O relator especial da ONU para execuções extrajudiciais Agnes Callamard concluiu em um relatório anterior que o assassinato de Khashoggi foi uma “execução deliberada e premeditada” e incentivou uma investigação do príncipe herdeiro saudita Mohammad bin Salman.

Autoridades sauditas, no entanto, insistiram que o príncipe herdeiro não estava envolvido no assassinato.

A Arábia Saudita anunciou no final do ano passado que cinco pessoas foram condenadas à morte por participarem do assassinato de Khashoggi.

LEIA: Ex-noiva de Khashoggi pede que Newcastle não seja vendida aos sauditas

Categorias
Arábia SauditaEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioSlide GrandeTurquia
Show Comments
Show Comments