Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

32 morreram nas prisões do Egito só este ano

1
Centro Correcional e de Reabilitação na cidade de Badr, em 16 de janeiro de 2022 [Khaled Dexouki/AFP via Getty Images]

Pelo menos 32 detidos morreram em prisões egípcias este ano, disse ontem a Organização Árabe para os Direitos Humanos no Reino Unido (AOHR, na sigla usual em inglês)

Em um comunicado à imprensa, a organização disse que o número de detidos egípcios que morreram na prisão continua a aumentar devido às violações contra eles, principalmente a negligência médica deliberada e as condições de detenção deploráveis ​​em que são mantidos.

O AOHR citou a morte de Hassan Abdullah Hassan, que sofreu um ataque cardíaco súbito em sua cela na prisão de Wadi El-Natrun. O detido político de 63 anos veio da província de Suez. Ele foi transferido para o hospital e declarado morto. Sua família afirmou que ele estava bem de saúde antes de sua detenção.

O detento político Shaaban Fouad também morreu dentro de sua cela na Prisão de Deportações de Shbein Elkoum na segunda-feira, depois que sua saúde se deteriorou na prisão onde ele contraiu o coronavírus.

Fouad era de uma aldeia na província de Monoufia. Ele foi preso várias vezes, inclusive em 8 de janeiro, após o qual permaneceu desaparecido à força por até 22 dias.

A organização de direitos humanos apontou que seis detentos morreram em várias prisões e centros de detenção somente em agosto

As prisões e centros de detenção egípcios estão testemunhando um aumento constante no número de mortes, enquanto as autoridades não permitem que o Comitê Internacional da Cruz Vermelha inspecione as condições das prisões.

LEIA: As violações trabalhistas nas políticas de emprego das empresas estatais do Egito

Categorias
ÁfricaAOHREgitoEuropa & RússiaNotíciaOrganizações InternacionaisReino Unido
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments