Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Chefe do Mossad diz que Israel prepara possível ataque militar ao Irã

Logotipo do Mossad [Wikipedia]
Logotipo do Mossad [Wikipedia]

O chefe do israelense Mossad, David Barnea, descreveu o emergente acordo nuclear iraniano assinado entre o Irã e as potências mundiais como “um desastre estratégico” para Israel, e que “Israel já iniciou os preparativos para um ataque militar contra o Irã se tal ação for considerada necessária. .”

O jornal Times of Israel citou as declarações de Barnea de que o acordo é “muito ruim para Israel” e que os EUA “estão se apressando em um acordo que, em última análise, é baseado em mentiras”, em referência à “afirmação contínua do Irã de que suas atividades nucleares são pacíficas por natureza.”

Ele acrescentou que o acordo parece inevitável, “à luz das necessidades dos EUA e do Irã. Washington está tentando impedir que Teerã adquira a capacidade de construir uma bomba nuclear, enquanto a República Islâmica busca alívio das sanções financeiras e econômicas incapacitantes ”

Barnea disse acreditar que o acordo “dá licença ao Irã para acumular o material nuclear necessário para uma bomba em alguns anos”. Ele também acredita que o fato  fornecerá a Teerã bilhões de dólares de seu dinheiro atualmente congelado, e isso aumenta o perigo que o Irã representa em toda a região por meio de seus representantes.

Ele também enfatizou que o acordo “não obrigará Israel” e que Israel agirá da maneira que achar adequada para neutralizar o Irã,acrescentado que “Israel já iniciou os preparativos para um ataque militar contra o Irã se tal ação for considerada necessária..”

O Irã anunciou, na quarta-feira, que recebeu a resposta dos EUA à sua sugestão de retornar ao que é conhecido como Plano de Ação Conjunta Abrangente , que o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, abandonou em 2018. Josep Borrell, chefe da diplomacia europeia, disse na terça-feira que um acordo pode ser alcançado com o Irã esta semana.

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby, observou que “estamos mais próximos agora do que estávamos apenas algumas semanas atrás, porque o Irã tomou a decisão de fazer algumas concessões”.

Diplomatas do Irã, EUA, China, Rússia, França, Reino Unido e Alemanha vêm negociando há meses um acordo para que o Irã se comprometa novamente com as restrições ao seu acordo nuclear em troca da suspensão das sanções econômicas impostas a ele.

Em maio de 2018, o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, impôs sanções a Teerã depois de anunciar a retirada de seu país do acordo nuclear assinado com o Irã em 2015 durante o mandato de seu antecessor, Barack Obama.

LEIA: A política palestina no território ocupado em 1948

 

Categorias
IrãIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments