Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Manifestantes incendeiam Parlamento da Líbia

Centenas de pessoas protestam em Trípoli, Líbia, em 5 de março de 2022 [Hazem Ahmed Turkia/Agência Anadolu]

Manifestantes líbios invadiram na sexta-feira a Câmara dos Deputados na cidade de Tobruk, no leste da Líbia, e incendiaram o prédio, informou a Agência Anadolu.

O canal de televisão February,  com sede na Líbia revelou que um grupo de manifestantes invadiu a Câmara dos Deputados na cidade de Tobruk, com uma escavadeira e incendiou o prédio.

Canais de TV líbios locais relataram imagens mostrando fogo e fumaça saindo do Parlamento.

Um grupo organizado nas mídias sociais sob o slogan “Revolução da Juventude” convocou manifestações e desobediência civil em 1º de julho em todas as cidades.

Os manifestantes exigiram que os órgãos legislativo e executivo fossem abolidos, informou a Agência Anadolu, insistindo que o estado de emergência fosse declarado e as eleições fossem realizadas o mais rápido possível.

Centenas de jovens se reuniram na Praça dos Mártires na capital do país, Trípoli, para iniciar o protesto.

Os manifestantes também pediram a solução da crise de eletricidade e a redução dos preços.

Segundo a Agência Anadolu, os protestos ocorreram após o fracasso das negociações de um comitê conjunto formado pelo Alto Conselho de Estado da Líbia e membros da Câmara dos Deputados, realizado sob a liderança das Nações Unidas entre 11 e 19 de junho no Cairo.

LEIA: Forças orientais da Líbia expandem bloqueio de petróleo

Com a participação da Conselheira Especial da ONU para a Líbia Stephanie Williams, soutras reuniões em Genebra de 28 a 30 de junho com os presidentes da Câmara dos Deputados Aguila Saleh e o Alto Conselho de Estado Khaled Al-Mishri não chegaram a um consenso.

Williams anunciou na quinta-feira que os lados não conseguiram chegar a um acordo e que Fathi Bashagha, que foi eleito primeiro-ministro pela Câmara em Tobruk, ameaçou entrar em Trípoli à força.

Em novembro de 2020, os lados líbios, que falaram sob o patrocínio da ONU, decidiram realizar eleições em 24 de dezembro de 2021, mas as eleições não puderam ser realizadas na data prevista.

A Câmara sediada em Tobruk, que está trabalhando sob o poder do coronel líbio rebelde Khalifa Haftar, elegeu Bashagha como primeiro-ministro em 10 de fevereiro.

Deputados de outras cidades, incluindo Trípoli, não compareceram à sessão com o fundamento de que o mandato do Governo de Unidade Nacional (GNU) havia expirado. O governo de Bashagha recebeu um voto de confiança em 1º de março.

Enquanto isso, o primeiro-ministro do Governo de Unidade Nacional, Abdul Hamid Dbeibeh, acusou a Câmara de se desviar do roteiro determinado no acordo de cessar-fogo de Genebra, afirmando que ele estava no comando e entregaria o poder apenas a um governo eleito.

Categorias
ÁfricaLíbiaNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments