Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Egito e AIEA discutem cooperação em segurança nuclear

Diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Mariano Grossi, em Viena, Áustria, em 24 de novembro de 2021 [Aşkın Kıyağan/Agência Anadolu]
Diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Mariano Grossi, em Viena, Áustria, em 24 de novembro de 2021 [Aşkın Kıyağan/Agência Anadolu]

O presidente egípcio, Abdel Fattah Al-Sisi, reuniu-se ontem com o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi, no Cairo, onde discutiu a intensificação da cooperação no campo da segurança nuclear.

Durante a reunião, Al-Sisi disse que seu país estava “ansioso por fortalecer a cooperação existente com a AIEA a fim de se beneficiar de sua experiência na implementação dos mais elevados padrões internacionais de segurança nuclear”, segundo um comunicado da presidência.

Ele também elogiou os esforços da agência no “uso de ciência e tecnologia nuclear em nível global e no apoio a esforços voltados para a promoção da paz e segurança internacionais”, acrescentando que a AIEA tem uma “grande responsabilidade de reforçar a estabilidade e a paz na região”.

O Egito, ele explicou, está “ansioso para se beneficiar da experiência da agência em segurança nuclear, já que o país está perto de introduzir a Usina Nuclear de Dabaa no oeste do Egito”.

Em novembro de 2015, Egito e Rússia assinaram um acordo para estabelecer a Usina Nuclear de Dabaa. Espera-se que o projeto seja concluído até 2029. Implementada pela Rosatom State Nuclear Energy Corporation da Rússia, a usina consiste em quatro reatores VVER de terceira geração, com capacidade de 1.200 megawatts cada.

Por sua parte, Grossi disse que a AIEA está apoiando o projeto Dabaa, acrescentando que “melhoraria o resultado dos trabalhos de desenvolvimento do Egito e o tornaria um país líder nesse campo na região”.

A reunião também discutiu o Egito, sede da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP27) em 2022, em que os méritos da dependência de energia limpa para reduzir as emissões de carbono serão apresentados.

Em uma reunião entre o ministro das Relações Exteriores egípcio, Sameh Shoukry, e Grossi, “foram discutidos os esforços para estabelecer uma zona livre de armas nucleares no Oriente Médio, bem como o papel da energia nuclear no combate às mudanças climáticas”.

Categorias
ÁfricaÁfricaAIEAEuropa & RússiaNotíciaOrganizações InternacionaisRegião
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments