Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Prisioneiro palestino Kayed al-Fasfous conquista sua liberdade

As autoridades israelenses emitiram uma ordem para libertá-lo em 14 de dezembro.

O prisioneiro palestino Kayed al-Fasfous conquistou uma vitória decisiva, após 131 dias de greve de fome, ao obter um acordo com a ocupação israelense para dar fim à sua detenção administrativa e ser libertado dentro de 23 dias.

As autoridades israelenses emitiram uma ordem para libertá-lo em 14 de dezembro.

Kayed al-Fasfous, pai de uma filha, manteve sua greve de fome por mais de quatro meses, em protesto contra sua detenção administrativa — isto é, sem julgamento ou acusação.

Ayad al-Harimi, de 34 anos, também suspendeu sua greve de fome nesta terça-feira (23), após 61 dias sem se alimentar. Tel Aviv concordou em libertá-lo em março de 2022.

LEIA: Israel recusa-se a libertar prisioneiro palestino após 124 dias de greve de fome

Em 11 de novembro, o prisioneiro palestino Miqdad Al-Qawasmi encerrou seus 113 dias de greve de fome, sob a promessa de ser libertado em fevereiro.

Contudo, outros dois prisioneiros palestinos continuam em greve de fome contra sua detenção administrativa. Hisham Ismail Abu Hawash não se alimenta há 106 dias e Louay al-Ashkar juntou-se ao protesto 42 dias atrás.

Israel mantém hoje cerca de 4.650 prisioneiros palestinos, incluindo 34 mulheres, 160 crianças e aproximadamente 500 sob detenção administrativa.

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestinaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments