Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Com promessa de soltura, mais um prisioneiro palestino encerra greve de fome

Palestinos realizam um protesto em apoio aos prisioneiros em greve de fome nas prisões israelenses em 15 de novembro de 2021 [Ali Jadallah / Agência Anadolu]

O prisioneiro palestino Ayad Al-Harimi suspendeu sua greve de fome depois de 61 dias depois que as autoridades de ocupação israelenses concordaram em libertá-lo em 4 de março de 2022.

O jovem de 34 anos foi recentemente transferido da prisão de Ramla para a prisão de Ofer. Com a piora da saúde,ele passou a sofrer dores por todo o corpo, visão turva e perda da capacidade de ficar em pé e andar.

Al-Harimi foi preso em abril e mantido em prisão administrativa – sem acusação ou julgamento,  e teve a detenção renovada após o período inicial ter terminado.

Ele é o segundo de seis grevistas de fome que encerraram seu protesto. Em 11 de novembro, o prisioneiro palestino Miqdad Al-Qawasmi concordou em encerrar sua greve de fome, que durou 113 dias, depois que as autoridades prisionais israelenses concordaram em libertá-lo em fevereiro.

Três outros prisioneiros palestinos estão em longa greve de fome, protestando contra a detenção pelas autoridades de ocupação sem acusação ou julgamento.

Os detidos palestinos são Kayed Al-Fasfous, Hisham Ismail Abu Hawash, cujas greves de fome continuaram por 107 dias, e Louay Al-Ashkar, que se juntou ao protesto há 43 dias.

Israel atualmente detém cerca de 4.650 palestinos presos, incluindo 34 mulheres, 160 crianças e cerca de 500 em prisões administrativas.

LEIA: Treze palestinos foram presos por Israel em operações na Cisjordânia

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments