Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Netflix lança minissérie sobre adolescente israelense que matou a família

Foto de divulgação da minissérie documental “Por que Matei Minha Família?” na Netflix [Reprodução/Netflix]

A Netflix lançará a minissérie documental “Por que Matei Minha Família?” (The Motive), sobre um crime ocorrido em Jerusalém, em 1986, quando um menino de 14 anos assassinou seus pais e duas irmãs à queima-roupa. A série de quatro episódios foi produzida e dirigida pelos israelenses Tali Shemesh e Asaf Sudry e será lançada quinta-feira, 28 de outubro.

“Em uma noite invernal de sexta-feira de 1986, ‘A’ de 14 anos acordou em sua casa no bairro de Ein Karem, em Jerusalém. Ele pegou a espingarda M-16 que seu pai trouxe para casa das reservas do exército e atirou em seus pais e duas irmãs na cabeça, à queima-roupa. Depois, ele trocou de roupa e correu para a casa do vizinho. Quando a polícia chegou, o detetive lhe perguntou por que ele havia atirado e matado sua família. O garoto respondeu que uma criatura verde o ordenou a fazer isso”, conta o resumo do filme no Festival de Cinema de Jerusalém. “Centenas de psiquiatras de Israel e do exterior tentaram decifrar este ato anormal, mas nenhum pôde chegar a uma conclusão clara. Falamos com a pessoa mais próxima do assassino, o advogado Yossi Arnon, que apresenta sua versão pela primeira vez, e admite que o menino tinha inventado a história sobre uma criatura verde. Além de seu testemunho, ouvimos o detetive policial, juiz, psiquiatra, advogado de acusação, conselheiro da casa dos jovens infratores e um jornalista. Durante todos os anos que se passaram, todos continuam perturbados pela dissonância entre o caráter do menino pequeno, de óculos, tão educado, brilhante e bondoso – e o massacre monstruoso que ele cometeu”.

O garoto, agora adulto, nunca foi identificado na mídia por ser menor de idade quando cometeu os crimes. De acordo com o Jerusalem Post, a série foi lançada pela primeira vez em Israel em dezembro de 2020 e foi revelado que o assassino é agora casado, tem filhos e trabalha em finanças em um cargo superior, embora o site de notícias israelense Ynet tenha relatado que depois que o nome do assassino circulou na mídia social, ele foi demitido de seu emprego.

Categorias
Notícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments