Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Colonos tentaram atacar criança palestina ferida dentro da ambulância, diz polícia israelense

Muhammad Hamamdeh, menino palestino de 4 anos de idade [Haifaa Khalafallah/Twitter]

A investigação policial sobre o ataque de colonos judeus à aldeia palestina de Khirbet al-Mufkara, na Cisjordânia ocupada, descobriu que houve uma tentativa de atacar um menino de três anos de idade enquanto ele estava na ambulância por um ferimento na cabeça, reportou o jornal Haaretz.

Dezenas de colonos mascarados invadiram o vilarejo nas colinas ao sul de Hebron (Al-Khalil) em 28 de setembro e atacaram as casas.

O menino de três anos chamado Mohammad Hamamda estava dentro de casa quando uma pedra quebrou a janela e o atingiu na cabeça.

Um parente da criança disse ao jornal israelense Haaretz que três colonos atiraram pedras contra o menino e seu tio enquanto a criança estava em uma maca do lado de fora da ambulância sendo preparado para ser levado ao hospital.

Ele foi levado para o Centro Médico Soroka em Be’er Sheva em estado moderado. Ao menos seis pessoas, incluindo Muhammad e seu tio, ficaram feridas no ataque.

Durante o ataque, os colonos quebraram as janelas dos carros, vandalizaram canos de água e um tanque de água.

O exército israelense chegou ao local e atirou latas de gás lacrimogêneo e granadas atordoantes contra os palestinos que reagiram aos ataques atirando as pedras de volta aos colonos.

Segundo o Hareetz, os tribunais israelenses libertaram quatro colonos que haviam sido presos por suspeita de envolvimento no ataque. O juiz do tribunal do magistrado, Havi Tucker, que ordenou a libertação de um adulto e um adolescente suspeitos, decidiu que o pedido para mantê-los sob custódia se baseava unicamente no perfil, e o juiz do tribunal distrital Tamar Bezek Rappaport decidiu que não havia suspeita razoável de que outros dois suspeitos estivessem envolvidos.

LEIA: Colonos de Israel ferem 15 palestinos a pedradas, incluindo menino de três anos

O vilarejo, que é próximo dos postos avançados ilegais de Avigayil e Havat Maon, abriga onze famílias que não têm acesso à água corrente e não estão conectadas à rede elétrica, de acordo com o artigo de Hagar Shezaf.

LEIA: Colonos atacam 3 crianças palestinas em Hebron

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments