Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Netanyahu pediu que Trump atacasse o Irã depois de perder a presidência

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, e o ex primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu participam numa reunião na Sala Oval da Casa Branca em 15 de setembro de 2020, em Washington, DC. [Doug Mills/Pool/Getty Images]

O ex-primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu solicitou que o ex-presidente norte-americano Donald Trump atacasse o Irã meses depois de perder a sua presidência, revelou The New Yorker na quinta-feira.

O presidente dos chefes do Estado-Maior, general Mark Milley disse a Trump: “Se fizer isto, vai ter uma p*ta guerra”.

De acordo com The New Yorker, Milley acreditava que Trump não queria uma guerra, mas continuava a insistir num ataque de mísseis em resposta a várias provocações.

“Trump tinha um círculo de falcões iranianos à sua volta e estava perto do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu que também incitava a administração a agir contra o Irã depois de ter ficado claro que Trump tinha perdido as eleições”, informou The New Yorker.

LEIA: Exército de Israel busca aumento de orçamento para se preparar contra o Irã nuclear

O secretário de Estado de Trump, Mike Pompeo, insistiu inicialmente em atacar o Irã, mas deixou de defender a ideia depois de ouvir os relatórios da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) sobre as atividades nucleares do Irã.

Segundo The New Yorker, tanto Mike Pompeo como o conselheiro de segurança nacional, Robert O’Brien, disseram a Trump que não era possível fazer nada militarmente, na sequência dos relatórios da AIEA. A sua atitude foi de que era “muito tarde para os atingir”.

Mais tarde, Milley perguntou ao vice-presidente Mike Pence porque estavam tão empenhados em atacar o Irã, ao que ele respondeu: “porque eles são maus”.

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosIrãIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments