Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Tribunal apoiado pela ONU nega que fugitivo do Hezbollah apele da sentença ‘à revelia’

Bandeira do Tribunal Especial para o Líbano apoiado pela ONU flutuando sobre o prédio a instituição julgadora do assassinato de 2005 do ex-premier libanês Rafiq Hariri. Foto tirada em 18 de agosto de 2020 [Kenzo Trivouillard/ AFP via Getty Images]
Bandeira do Tribunal Especial para o Líbano apoiado pela ONU flutuando sobre o prédio a instituição julgadora do assassinato de 2005 do ex-premier libanês Rafiq Hariri. Foto tirada em 18 de agosto de 2020 [Kenzo Trivouillard/ AFP via Getty Images]

O Tribunal Especial para o Líbano (STL) apoiado pela ONU decidiu na terça-feira que um suspeito fugitivo do Hezbollah, Salim Ayyash, condenado pelo assassinato do ex-primeiro-ministro do Líbano Rafic Hariri não pode apelar do veredicto até que se entregue.

No ano passado, o Tribunal Especial para o Líbano na Holanda considerou Ayyash culpado à revelia e o sentenciou a cinco penas de prisão perpétua pelo assassinato de Hariri em um atentado suicida em Beirute em 2005.

Ayyash, 57, permanece escondido enquanto o secretário-geral do Hezbollah, Hassan Nasrallah, se recusa a entregá-lo ou a reconhecer a autoridade do tribunal.

Em janeiro passado, os advogados de defesa de Ayyash apelaram do veredicto, mas a maioria dos juízes do tribunal na terça-feira decidiu rejeitar o recurso.

LEIA: Lembrando a morte de Rafic Hariri (1944-2005)

O tribunal disse em um comunicado que “o quadro jurídico para processos à revelia no STL não contempla um recurso de defesa à revelia”, acrescentando que “o advogado do Sr. Ayyash não foi nomeado nem aceito pelo Sr. Ayyash, que fugiu e não foi encontrado. Um mandado de prisão contra o Sr. Ayyash está pendente. ”

O tribunal disse que Ayyash mantém “o direito de apelar das sentenças se ele comparecer, ou solicitar um novo julgamento” de acordo com os padrões internacionais de direitos humanos.

Hariri foi morto junto com outras 22 pessoas na explosão de um enorme caminhão-bomba que também feriu outras 226 pessoas.

Ayyash enfrenta um caso separado no tribunal por três ataques a políticos no Líbano que deve ser aberto em junho.

Em março, os Estados Unidos ofereceram uma recompensa de US$ 10 milhões por informações que levassem à localização ou identificação de Ayyash.

Categorias
LíbanoNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments