Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

França e Irã debatem acordo nuclear antes de encontro em Viena

Ministro de Relações Exteriores da França Jean-Yves Le Drian em Bagdá, Iraque, 16 de julho de 2020 [Murtadha Al-Sudani/Agência Anadolu]
Ministro de Relações Exteriores da França Jean-Yves Le Drian em Bagdá, Iraque, 16 de julho de 2020 [Murtadha Al-Sudani/Agência Anadolu]

Neste sábado (3), Paris exortou Teerã a ser “construtivo” e evitar maiores violações de seus compromissos estabelecidos pelo acordo nuclear, às vésperas de novas negociações em Viena, capital da Áustria, para tentar superar o atual impasse.

As informações são da agência Anadolu.

Em troca, o regime iraniano exortou a França a suspender sanções.

A conversa ocorreu por telefone, entre o Ministro de Relações Exteriores da França Jean-Yves Le Drian e sua contraparte iraniana Mohammad Javad Zarif.

Em nota, Le Drian alegou encorajar Teerã a identificar ações necessárias para um “retorno pleno ao compromisso com o acordo” e reiterou que todos os países envolvidos demonstram disposição em negociar de boa fé, para restituir rapidamente o pacto.

Desde a posse do Presidente dos Estados Unidos Joe Biden, o grupo conhecido como E3 – Alemanha, França e Reino Unido – conduz negociações de bastidores para reunir Washington e Teerã e retomar o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA).

LEIA: EUA e Irã devem negociar acordo nuclear indireto em Viena

O ex-presidente americano Donald Trump revogou unilateralmente o acordo em 2018 e restabeleceu duras sanções ao Irã.

O tratado internacional prevê salvaguardas para impedir o desenvolvimento de uma arma nuclear iraniana, em troca da suspensão de sanções.

O parlamento iraniano ameaçou interromper as inspeções mandatórias da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) sobre as instalações atômicas da república islâmica, caso Washington não suspendesse sanções até 21 de fevereiro.

Teerã reiterou seu apelo aos signatários conhecidos como P5+1 – União Europeia e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, isto é, Estados Unidos, China, Rússia, França e Reino Unido – para restituir seu pleno cumprimento ao acordo.

Após o telefonema, Zarif também alegou solicitar da França uma postura construtiva em Viena. “Reivindiquei que honrem seus compromissos e deixem de colaborar com as sanções ilegais impostas pelos Estados Unidos”, destacou no Twitter.

LEIA: Irã rejeita proposta dos EUA de levantamento gradual das sanções

Categorias
AIEAÁustriaEuropa & RússiaFrançaIrãNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioUnião Europeia
Show Comments
Show Comments