Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Turquia levanta direitos uigur em reunião com ministro chinês

Pessoas protestam contra as políticas da China em relação aos turcos uigures em Bruxelas, Bélgica, em 11 de março de 2021. [Dursun Aydemir/Agência Anadolu]
Pessoas protestam contra as políticas da China em relação aos turcos uigures em Bruxelas, Bélgica, em 11 de março de 2021. [Dursun Aydemir/Agência Anadolu]

A Turquia levantou a questão dos muçulmanos uigures durante conversas com o ministro das Relações Exteriores da China em Ancara, disse o ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, enquanto centenas de uigures protestavam contra o tratamento dado a seus parentes étnicos na China, informou a Reuters.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, encontrou-se com Cavusoglu e mais tarde com o presidente, Tayyip Erdogan, enquanto cerca de 1.000 manifestantes se reuniam em Istambul gritando “Ditador China” e “Pare o Genocídio Uigur, feche os campos”. Alguns agitaram bandeiras azuis e brancas do movimento de independência do Turquestão Oriental, nome pelo qual o movimento se refere a Xinjiang.

“Estamos aqui para perguntar sobre nossas famílias. Por que não podemos entrar em contato com nossas famílias? Eles estão vivos ou mortos? Onde estão? disse o Imam Hasan Ozturk, um manifestante uigur.

A China aprovou um tratado de extradição com a Turquia em dezembro e com o acordo aguardando ratificação pelo parlamento de Ancara, ativistas dentre cerca de 40.000 uigures que vivem na Turquia intensificaram os esforços para destacar sua situação, realizando protestos regulares em Ancara e Istambul.

Cavusoglu, que negou que o acordo de extradição levaria os uigures a serem enviados de volta à China, disse depois de se encontrar com Wang que transmitiu “nossa sensibilidade e pensamentos sobre os turcos uigures”, acrescentando que Ancara e Pequim melhorariam a cooperação contra a pandemia de covid-19 e sobre vacinas.

As preocupações dos uigures foram alimentadas pela dependência de Ancara da China para as vacinas de covid-19, tendo recebido 15 milhões de doses da Sinovac Biotech e encomendado dezenas de milhões mais. Esta semana, a Turquia recebeu 1,4 milhão de doses da vacina desenvolvida pela BioNTech da Alemanha, o primeiro lote significativo de vacinas não chinesas.

Especialistas da ONU estimam que pelo menos um milhão de uigures e outros muçulmanos estão detidos em centros de detenção em Xinjiang, noroeste da China. Os Estados Unidos disseram em janeiro que a China cometeu “genocídio e crimes contra a humanidade” ao reprimir os uigures.

A China nega as acusações de abusos em Xinjiang e disse que os complexos que montou na região forneceram treinamento vocacional para ajudar a erradicar o extremismo islâmico e o separatismo.

LEIA: Não sei da minha mãe há 1.400 dias devido à repressão da China, relata acadêmico uigur

Categorias
Ásia & AméricasChinaEuropa & RússiaNotíciaTurquia
Show Comments
Show Comments