Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

O Irã não pode obter armas nucleares, reafirmam EUA e aliados europeus

Museu da Defesa Sagrada, construída em memória da guerra Irã-Iraque, em Teerã, capital do Irã, 21 de setembro de 2020 [Fatemeh Bahrami/Anadolu Agency]
Museu da Defesa Sagrada, construída em memória da guerra Irã-Iraque, em Teerã, capital do Irã, 21 de setembro de 2020 [Fatemeh Bahrami/Anadolu Agency]

Nesta quinta-feira (18), ministros e secretários responsáveis por política externa de Reino Unido, França, Alemanha (E3) e Estados Unidos reforçaram determinação sobre o fato de que o Irã não pode obter armas nucleares e receios sobre os recentes avanços de Teerã.

As informações são da agência Reuters.

“Sobre o Irã, Estados Unidos e E3 expressam seu interesse compartilhado fundamental de segurança em preservar o regime de não-proliferação atômica e garantir que o Irã jamais desenvolva armas nucleares”, reiterou nota dos chefes de diplomacia, após reunião virtual.

É a segunda vez que o novo Secretário de Estado dos Estados Unidos Antony Blinken reúne-se com suas contrapartes europeias, conforme promessa do Presidente Joe Biden para cooperar melhor com aliados, após relações conturbadas com seu predecessor Donald Trump.

LEIA: Israel e EUA desenvolverão escudo antimísseis balísticos

O comunicado reiterou “receios comuns sobre as recentes ações do Irã em produzir metal de urânio e urânio enriquecido acima de 20%”.

Teerã instituiu um prazo, que expira na próxima semana, para que Biden comece a reverter sanções impostas por Trump, caso contrário impedirá inspeções reportadas com pouca antecedência conduzidas pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Estados Unidos e E3 destacaram ainda “união em enfatizar a natureza perigosa da decisão de limitar o acesso da AIEA” e exortaram o Irã a considerar as consequências da medida – “sobretudo neste momento de renovada oportunidade diplomática”.

Os países europeus concluíram ao agradecer Washington por sua “intenção declarada de retornar à diplomacia com o Irã, além de retomar um diálogo profundo e embasado em confiança mútua entre Estados Unidos e E3”.

LEIA: Irã quer ações e não palavras das partes relevantes do acordo nuclear, afirma aiatolá

Categorias
AIEAÁsia & AméricasEstados UnidosIrãNotíciaOrganizações InternacionaisOriente Médio
Show Comments
Show Comments