Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Trump concede condecoração militar ao Rei Hamad do Bahrein

Rei do Bahrein Hamad bin Isa al Khalifa (à esquerda) reúne-se com o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman (à direita), em Jeddah, Arábia Saudita, 1° de agosto de 2017 [Bandar Algaloud/Conselho Real Saudita/Agência Anadolu]
Rei do Bahrein Hamad bin Isa al Khalifa (à esquerda) reúne-se com o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman (à direita), em Jeddah, Arábia Saudita, 1° de agosto de 2017 [Bandar Algaloud/Conselho Real Saudita/Agência Anadolu]

Nesta segunda-feira (18), o Presidente dos Estados Unidos Donald Trump – cujo mandato termina amanhã (20) – condecorou o Rei do Bahrein Hamad bin Isa al Khalifa com a medalha militar da Legião do Mérito, conforme decreto executivo como comandante-chefe.

O monarca recebeu a homenagem militar “em reconhecimento de seus esforços notáveis para fortalecer as relações de amizade e sólida parceria entre Bahrein e Estados Unidos”, reportou a agência de notícias estatal do Bahrein.

O prêmio é entregue regularmente pelo presidente americano a líderes estrangeiros, como agradecimento aos laços próximos entre seus respectivos estados e por conquistas descritas como extraordinárias. Trump celebrou Hamad pela normalização com Israel.

“Sua decisão marca uma nova era de cooperação econômica e de segurança entre os mais importantes parceiros dos Estados Unidos no Oriente Médio”, declarou o presidente republicano, em seu penúltimo dia no cargo.

Prosseguiu: “O Rei Hamad desafiou ideias antigas sobre as chances de paz na região; ao fazê-lo, reformulou positivamente a paisagem da região para as próximas gerações”.

LEIA: Trump recebe o maior prêmio do Marrocos pela ação no Oriente Médio

Trump afirmou ter esperanças de que as relações entre os países continuem a crescer sob a novo governo de Joe Biden, em rara admissão de derrota, embora indireta. Hamad agradeceu o prêmio e alegou orgulho de que seu país continue a trabalhar com os Estados Unidos.

O Rei do Marrocos Mohammed VI também foi condecorado nos mesmos termos. O Emir do Kuwait Sabah al-Ahmad al-Jaber al-Sabah também recebeu a Legião do Mérito em setembro, apenas dez dias antes de sua morte.

Além disso, Bahrein e Emirados Árabes Unidos foram designados “parceiros de segurança majoritários” dos Estados Unidos, no último sábado (16). O status foi criado extraordinariamente por Trump e é único a ambos os países, até então.

O conceito está obviamente relacionado à normalização das relações entre os estados do Golfo e Israel, a partir do segundo semestre de 2020. Bahrein e Emirados abrigam operações militares americanas de larga escala.

O reino insular barenita, por exemplo, serve como base para a 5ª Frota da Marinha dos Estados Unidos.

“[A designação] reconhece nossa parceria excepcional de segurança, por exemplo, ao abrigar milhares de soldados, marinheiros, pilotos e fuzileiros americanos, além do compromisso dos países em reagir ao extremismo violento por toda a região”, explicou a Secretária de Imprensa da Casa Branca Kayleigh McEnany.

“Reflete ainda a coragem, determinação e liderança extraordinárias de ambos os países ao aderir aos Acordos de Abraaão”, alegou McEnany, em referência à normalização.

A honraria sucede ainda o fim do bloqueio imposto por Bahrein, Arábia Saudita, Egito e Emirados Árabes Unidos contra o Catar, em meados de 2017. O embargo comercial e diplomático foi justificado por acusações de apoio ao terrorismo, repudiadas pelo Catar.

Conforme mediação de Jared Kushner, genro e assessor de Trump, as negociações chegaram à recente suspensão do bloqueio, mais cedo em janeiro.

LEIA: Jornalista barenita vítima de bullying online busca apoio de colegas judeus

Categorias
BahreinEstados UnidosNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments