Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Bolsonaro pede a Israel cilindros de oxigênio, mas não obtém resposta

O presidente Jair Bolsonaro pediu ajuda ao Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, para que o governo sionista envie materiais para o combate ao coronavírus no país

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (15) que pediu ajuda ao Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, para que o governo sionista envie materiais para o combate ao coronavírus no país, devido à crise de falta de oxigênio no Amazonas.

A declaração foi feita durante entrevista à rádio Jovem Pan. Bolsonaro afirmou ter pedido “socorro” à Shelley e materiais emergenciais, como por exemplo os cilindros de oxigênio, que dizem terem “dificuldades no tocante a isso”.

O presidente também recorreu, nesta quinta-feira (14), à Embaixada dos Estados Unidos solicitando envio de cilindros ao Amazonas. A embaixada americana disse ter recebido o pedido e estar “em contato com as autoridades brasileiras”. Além de Israel e Estados Unidos, o governo também fez o pedido ao Chile, todos governos de direita alinhados à Bolsonaro. Até então, nenhum pedido foi atendido.

A Venezuela foi o único país a fornecer ajuda emergencial à cidade de Manaus. Foram enviados oito caminhões carregados com aproximadamente 130 mil litros de oxigênio. O governo bolivariano também enviou disponibilizou 107 médicos brasileiros e venezuelanos, graduados na Escola Latino-Americana de Medicina Salvador Allende, em Caracas. Segundo o governador do Amazonas, Wilson Lima, a Venezuela foi o único país a se prontificar a ajudar o Estado na crise da falta de oxigênio, apesar da comoção mundial.

LEIA: Venezuela disponibiliza oxigênio para atender Manaus

Categorias
América LatinaÁsia & AméricasBrasilCoronavírusIsraelJordâniaNotíciaOriente MédioVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments