Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Tomada do Capitólio dos EUA leva Israel a temer o mesmo cenário

Multidão pró-Trump invade o Capitólio dos EUA em 6 de janeiro de 2021 em Washington, DC [Win McNamee / Getty Images]
Multidão pró-Trump invade o Capitólio dos EUA em 6 de janeiro de 2021 em Washington, DC [Win McNamee / Getty Images]

Em 6 de janeiro, o prédio do Congresso dos Estados Unidos foi invadido por partidários do presidente em fim de mandato Donald Trump, depois que este pediu a seus partidários que se reunissem para contestar o resultado das eleições e a vitória de Joe Biden.

Autoridades israelenses e partidos políticos criticaram o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu por não comentar os eventos do Congresso dos EUA, expressando temores de reações semelhantes em Israel.

Orna Barbivai, membro do Knesset, declarou segundo a Agência de Notícias Shehab: “Netanyahu deve contatar seu amigo Donald Trump para dizer a ele que esta cena não será reproduzida em Israel.”

O membro do Knesset, Eli Avidar, previu: “O que aconteceu em Washington pode acontecer em Israel um dia após as eleições, enquanto Netanyahu continua seu incitamento contra o judiciário.”

Ofer Shelah, membro do Knesset, expressou: “O que aconteceu nos Estados Unidos, apesar de ser o estado democrático mais forte e proeminente, indica que uma pessoa pode minar as fundações de um estado. Portanto, devemos proteger o sistema democrático em Israel antes que seja tarde demais . ”

LEIA: Partido Azul e Branco deve implodir após saída de políticos de destaque, em Israel

O líder do partido New Hope, Gideon Sa’ar, também observou: “O que aconteceu nos Estados Unidos nos lembra o que também pode acontecer em Israel devido ao estado de polarização e extremismo”.

O membro do Knesset Ron Huldai comunicou: “A recusa de Netanyahu em comentar os distúrbios repugnantes em Washington não veio por acaso, pois ele pensa que é mais importante do que o estado.”

De acordo com Tamar Zandberg, membro do Knesset: “A tentativa de golpe nos Estados Unidos é o resultado das tentativas de Trump de convencer seus apoiadores de que sua vitória é uma decisão divina e que nenhum democrata pode mudar esse fato. Infelizmente, muitos partidos de direita acreditam que a democracia funciona apenas de uma maneira. Portanto, espero que isso não aconteça em Israel, mas não posso prometer isso. ”

MK Karin Elharar enfatizou: “Os eventos vistos em Washington deveriam assustar todos os israelenses, mas o incitamento se transforma em violência no final.”

Um manifestante grita "Liberdade" dentro do Senado depois que o Capitólio dos EUA foi violado por uma multidão durante a sessão conjunta do Congresso em 6 de janeiro de 2021 em Washington, DC [Win McNamee / Getty Images]

Um manifestante grita “Liberdade” dentro do Senado depois que o Capitólio dos EUA foi violado por uma multidão durante a sessão conjunta do Congresso em 6 de janeiro de 2021 em Washington, DC [Win McNamee / Getty Images]

Ela acrescentou: “O que aconteceu esta noite em Washington é uma tentativa de golpe que em breve poderá ser duplicada em Israel. Netanyahu fez a mesma coisa durante os últimos quatro anos e desde o início das investigações. Devemos, portanto, alertar e prevenir todos os democratas em Israel de que devem evitar a onda de caos liderada por Netanyahu. ”

O político israelense Eldad Yaniv observou: “Após quatro anos de insultos às instituições da democracia e seus princípios, o dia das eleições marcou o clímax desse caminho. As alegações de Trump de que as eleições são falhas levaram seus apoiadores a usar armas e atacar o Congresso.”

Ele acrescentou: “O que Netanyahu fez nos últimos quatro anos é semelhante ao que Trump fez, então temo que o mesmo cenário volte a acontecer. Netanyahu continua espalhando mentiras e afirma que uma conspiração foi armada contra ele para derrubá-lo usando argumentos frágeis e falácias. Ele arrastou Israel às eleições quatro vezes e não hesitará em arrastar o país à quinta eleição. ”

O ministro das Relações Exteriores do governo de ocupação israelense, Gabi Ashkenazi, expressou sua consternação com o ataque ao Congresso dos Estados Unidos na noite anterior e comunicou uma forte condenação do incidente.

Ashkenazi acrescentou: “Desde a sua independência, os Estados Unidos, nosso grande e sincero amigo, têm sido um farol da democracia e defendem os valores da liberdade, justiça e independência”.

Ele continuou: “Estou certo de que o povo americano e seus representantes eleitos saberão como bloquear este ataque e continuar a defender os valores sobre os quais os Estados Unidos foram fundados.”

Anteriormente, várias autoridades europeias proclamaram seu choque ao ouvir a notícia de Washington, enfatizando a necessidade de moderação e respeito pelo Estado de Direito no país.

LEIA: Ex-chefe das FDI: crise política interna ameaça a existência de Israel, não inimigos externos

Categorias
Ásia & AméricasEUAIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments