Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Milhares de oliveiras palestinas foram danificadas e incendiadas por colonos, alerta ONU

Fazendeiro palestino inspeciona o dano a suas oliveiras, cortadas por colonos israelenses, 11 de abril de 2017 [Issam Rimawi/Agência Anadolu]
Fazendeiro palestino inspeciona o dano a suas oliveiras, cortadas por colonos israelenses, 11 de abril de 2017 [Issam Rimawi/Agência Anadolu]

O Escritório das Nações Unidas para Assuntos Humanitários (OCHA) alertou que a temporada de colheita das oliveiras na Palestina ocupada, que teve início em 7 de outubro, foi gravemente prejudicada por ações de colonos israelenses ilegais.

Em relatório sobre as violações israelenses nos territórios ocupados, a agência da ONU reportou casos cometidos por “supostos ou notórios colonos israelenses, em 19 incidentes”.

Prosseguiu: “Vinte e três fazendeiros palestinos foram feridos, mais de 1.000 oliveiras foram incendiadas ou danificadas e grande quantidade de frutos foi roubada”.

A maioria dos ataques ocorreu perto ou em torno da cidade de Ramallah, Cisjordânia ocupada. O relatório observou ainda que colonos “apedrejaram ou agrediram fisicamente coletores palestinos em três ocasiões, gerando confronto”.

Forças da ocupação de Israel, relatou o OCHA, “intervieram em um dos confrontos, ao ferir 14 palestinos e queimar 30 árvores devido ao uso de gás lacrimogêneo”.

LEIA: Israel bloqueia acesso palestino a terras agrárias às vésperas da colheita de oliveiras

Outros casos de feridos foram registrados nas áreas agrárias próximas a Huwwara, perto de Nablus, e nas aldeias de Ni’lin e Beitillu.

Acrescentou o relatório: “Perto do assentamento israelense de Mevo Dotan (Jenin), cerca de 450 oliveiras foram incendiadas e destruídas, pouco depois de fazendeiros palestinos da aldeia de Ya’abad serem atacados por colonos e expulsos do local por soldados israelenses.”

“Algumas centenas de árvores palestinas da aldeia de Saffa (Ramallah), na área fechada por trás do muro, também foram incendiadas e danificadas … Em outras dez áreas adjacentes a assentamentos, fazendeiros descobriram que suas oliveiras foram vandalizadas ou cortadas e o produto, roubado.”

Colonos cortaram 300 oliveiras na aldeia de al-Jab’ah, Hebron (Al-Khalil), Cisjordânia ocupada

Segundo o OCHA, “diversos incidentes ocorreram em áreas de acesso restrito, onde autoridades israelenses permitem a entrada dos palestinos por somente dois a quatro dias, durante todo a temporada de colheita.”

A agência da ONU registrou ainda quatro ataques recentes executados por prováveis colonos israelenses, ao observar que um bebê palestino de um ano de idade ficou ferido quando o carro de seus pais foi atingido por pedras, na província de Belém.

LEIA: Da Palestina à Amazônia, a sanha dos colonizadores

Na região próxima de Al-Khader, quarenta colmeias de abelhas foram incendiadas e destruídas. Na área de Farsiya, norte do Vale do Jordão, pastores palestinos foram agredidos fisicamente por um grupo de colonos; uma ovelha foi morta.

Na aldeia de Jalud (Nablus), postes e cabos de eletricidade, que forneciam energia a depósitos agrários, foram cortados e danificados, a fim de deteriorar os produtos armazenados.

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments