Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

França apoia proposta de ex-premiê para encerrar impasse político no Líbano

Presidente da França Emmanuel Macron encontra-se com o ex-Primeiro-Ministro do Líbano Saad Hariri, no Palácio dos Pinheiros, residência oficial do embaixador francês em Beirute, 31 de agosto de 2020 [Gonzalo Fuentes/AFP/Getty Images]
Presidente da França Emmanuel Macron encontra-se com o ex-Primeiro-Ministro do Líbano Saad Hariri, no Palácio dos Pinheiros, residência oficial do embaixador francês em Beirute, 31 de agosto de 2020 [Gonzalo Fuentes/AFP/Getty Images]

Nesta quinta-feira (24), a França declarou apoio a uma proposta do ex-Primeiro-Ministro do Líbano Saad Hariri que supostamente pode ajudar a compor um novo gabinete de governo libanês, diante da pior crise do país árabe desde a guerra civil, entre 1975 e 1990.

“Esta declaração representa uma concessão e todos os partidos devem compreender sua importância, para que um novo governo seja estabelecido”, afirmou o Ministério de Relações Exteriores da França.

Na terça-feira (22), Hariri – proeminente político sunita – sugeriu uma saída, ao propor que um candidato xiita “independente” possa ser indicado como Ministro das Finanças do Líbano. Hariri destacou, contudo, que a medida não significa que a pasta “será sempre xiita”.

Paris pressiona os políticos libaneses pela formação rápida de um novo governo, capaz de “atrair reformas para combater a corrupção e angariar ajuda internacional, a fim de reparar a economia libanesa, afogada em dívidas”.

LEIA: Explosão atinge depósito de armas do Hezbollah, no sul do Líbano

Mustapha Adib, político sunita indicado a primeiro-ministro, buscou balancear os ministérios do país com um novo gabinete de especialistas. Sob o sistema sectário libanês de compartilhamento de poder, o primeiro-ministro é sempre muçulmano e o presidente, cristão.

Os problemas do Líbano se agravaram após a devastadora explosão no porto de Beirute, em 4 de agosto. Incêndios subsequentes no local e arredores e uma nova explosão no sul do país, na terça-feira, abalaram ainda mais os ânimos da população.

LEIA: França ainda pressiona por novo governo no Líbano, mesmo após prazo proposto

Categorias
Europa & RússiaFrançaLíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments