Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

ONU arrecada US$ 7.7 bilhões para sírios acometidos pela guerra e pelo covid-19

Crianças sírias em campo de tendas provisórias na Síria, 2 de abril de 2020 [Muhammed Abdullah/Agência Anadolu]
Crianças sírias em campo de tendas provisórias na Síria, 2 de abril de 2020 [Muhammed Abdullah/Agência Anadolu]

Até esta terça-feira (30), a Organização das Nações Unidas (ONU) conseguiu arrecadar um total US$ 7.7 bilhões em ajuda humanitária destinada à Síria, onde nove anos de guerra deslocou milhões de pessoas em grave crise humanitária exacerbada ainda pelo aumento nos preços de alimentos e a pandemia de coronavírus.

Embora a arrecadação da ONU ainda esteja abaixo da meta buscada por suas agências, estabelecida em quase US$ 10 bilhões, as doações foram consideradas acima do esperado, considerando o choque econômico global decorrente do covid-19.

Diante da conjuntura, diversos governos sob grave crise fiscal cortaram recursos previstos a outros programas humanitários, mais notavelmente ao Iêmen, em meados de junho.

“Reconhecemos que as circunstâncias não são muito usuais, é um momento difícil para que todos os países encontrem recursos necessários para aliviar o sofrimento do povo sírio”, afirmou Mark Lowcock, chefe de ajuda humanitária da ONU, após a conferência virtual de doadores, com participação de 60 governos e agências não-oficiais de todo o mundo.

LEIA: Crise de fome e surto de coronavírus na Síria se intensificam, alerta ONU

As doações angariadas hoje são provenientes de países como Catar (US$ 100 milhões) e Alemanha (US$ 1.58 bilhões). O governo em Berlim anunciou que sua parcela representa a maior doação entre os países participantes.

Em 2019, a ONU angariou US$ 7 bilhões para assistência na Síria. Neste ano, alega precisar ainda de US$ 3.8 bilhões para complementar o programa no país árabe, onde 11 milhões de pessoas dependem de ajuda e proteção. Estima-se que mais de 9.3 milhões de sírios carecem de alimentação adequada.

Além disso, a ONU busca obter US$ 6.04 bilhões para conceder apoio a 6.6 milhões de sírios que fugiram do país, em contexto considerado a maior crise de refugiados do mundo.

Oficiais das Nações Unidas ainda pretendem exortar outros doadores a conceder maiores contribuições, ao longo do ano. Há tempo pois o orçamento humanitário é dividido entre 2020 e 2021.

LEIA: Doadores internacionais prometem US$130 milhões em apoio à UNRWA

Além das adversidades da guerra síria, uma severa crise econômica mundial e o lockdown decorrente do coronavírus elevaram os preços dos alimentos em mais de 200%, em menos de um ano, segundo o Programa Alimentar Mundial (PAM).

Conforme estimativas da Universidade John Hopkins, referência em medicina nos Estados Unidos, há apenas 269 casos confirmados de coronavírus na Síria. No entanto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para a hipótese de que a situação real seja muito mais grave e que a taxa de contágio acelere exponencialmente.

Reconstruir cidades destruídas levarão bilhões de dólares além dos recursos presentes. Governos da União Europeia ainda reiteram que a reconstrução não poderá ter início até que as partes envolvidas no conflito retornem a um processo de transição pacífica, alheio ao controle do então Presidente Bashar al-Assad.

“Precisamos enfim de uma solução política para o conflito”, destacou Gerd Müller, Ministro de Desenvolvimento da Alemanha.

O coronavírus espalha-se pelo Oriente Médio [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

O coronavírus espalha-se pelo Oriente Médio [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Categorias
CoronavírusNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioSíria
Show Comments
Show Comments