Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ex-presidente da Tunísia acusa Arábia Saudita, EAU e Egito de liderar contrarrevolução no Norte da África

Ex-presidente tunisiano Moncef Marzouki em Túnis, capital da Tunísia, 1° de setembro de 2019 [Yassine Gaidi/Agência Anadolu]

O ex-Presidente da Tunísia Moncef Marzouki acusou Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos (EAU) e Egito de liderar uma contrarrevolução no Norte da África, ao intervir na Argélia, Tunísia e Marrocos. Os comentários de Marzouki sobre a questão foram feitos em discurso proferido no Fórum do Magreb, na cidade de El Jadida, Marrocos.

Os contrarrevolucionários, afirmou o ex-presidente, não perdoaram o Rei Mohammed VI do Marrocos por responder positivamente às aspirações populares por mudança em 2011 e por trazer os representantes islâmicos ao âmbito da tomada de decisões.

“Tais passos assumidos pelo monarca marroquino são considerados pelos países que lideram a contrarrevolução como uma flagrante blasfêmia que demanda retaliação contra os responsáveis,” reiterou Marzouki. “Os países do Magreb [noroeste da África] estão ameaçados, pois os eventos que ocorrem hoje na Líbia representam um risco direto à Tunísia, Argélia e Marrocos. Precisamos ressuscitar a União do Magreb Árabe como questão de urgência.”

Relações entre Emirados Árabes Unidos e Marrocos deterioraram-se nos últimos anos, em particular no decorrer de 2019. O governo marroquino em Rabat acusa as autoridades emiradenses em Abu Dhabi de serem responsáveis por sabotar interesses e ações do reino norte-africano.

Categorias
ÁfricaArábia SauditaEAUEgitoNotíciaOriente MédioTunísia
Show Comments
Show Comments