Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Enviado dos EUA: Washington retornará ao acordo nuclear se o Irã o fizer

Enviado especial dos EUA para o Irã Robert Malley em 19 de novembro de 2021 [MAZEN MAHDI/AFP via Getty Images]

O enviado especial dos EUA para o Irã, Robert Malley, disse que Washington está disposto a voltar a cumprir o acordo nuclear de 2015 se Teerã fizer o mesmo.

Em entrevista à rede americana PBS no sábado, Malley explicou que, devido à decisão do ex-presidente Donald Trump de se retirar do acordo, o Irã está a apenas “um punhado de semanas” de ter material físsil suficiente para fazer uma bomba nuclear.

Malley explicou que os EUA não pressionarão a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para encerrar questões pendentes com o Irã, observando que essas questões serão encerradas quando o Irã fornecer as respostas tecnicamente críveis que a AIEA solicitou.

“Assim que eles fizerem isso, e assim que a agência estiver satisfeita, ficaremos satisfeitos, mas não antes”, acrescentou.

A declaração da autoridade dos EUA veio quando um diplomata iraniano disse que Teerã está em processo de revisão das propostas europeias para reviver o acordo nuclear, apontando para a possibilidade de aceitá-las se forem fornecidas garantias.

Há dois dias, o Wall Street Journal revelou que as propostas europeias incluem fazer grandes concessões ao Irã com o objetivo de encerrar a investigação da AIEA sobre as supostas atividades nucleares monitoradas por equipes da AIEA em alguns locais.

LEIA: Novas conversas nucleares entre EUA e Irã são ‘sérias’, afirma Moscou

As questões que impedem o renascimento do acordo nuclear com o Irã

Em troca, os Estados Unidos exigiram que o Irã abandonasse suas exigências não contidas no acordo nuclear original, também conhecido como Plano de Ação Abrangente Conjunto (JCPOA, na sigla usual em inglês).

Os EUA também propõem suspender parte das sanções impostas ao Irã e manter outras, e insistem em expandir o acordo para incluir o programa de mísseis do Irã, bem como sua influência regional.

No entanto, o Irã insiste que todas as sanções sejam levantadas e garantias de que nenhuma será reimposta, e se recusa a incluir seu programa de mísseis em qualquer acordo.

As partes envolvidas nas negociações indiretas sobre a retomada do acordo nuclear de 2015 retornaram a Viena há alguns dias, em meio à esperança de que Washington e Teerã aceitassem as propostas europeias.

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosIrãNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments