Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Líderes cristãos pedem a todos os palestinos que defendam a Mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém

Forças israelenses invadem o pátio de Al-Aqsa em Jerusalém Oriental, em 22 de abril de 2022 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]

Um membro do Comitê Islâmico-Cristão em Apoio a Jerusalém e seus Santuários pediu desobediência civil na Jerusalém ocupada no próximo domingo para proteger a Mesquita Al-Aqsa da incursão planejada de colonos judeus ilegais. O padre Manuel Musallam fez o pedido em um comunicado público.

“Ó palestinos”, disse o padre Musallam, “bloqueiem Jerusalém com seus corpos, deixem um milhão de palestinos subirem até ela e deixem as pessoas sentarem-se nas praças, estradas e portas. Não deixem um espaço para que nem mesmo uma formiga sionista possa entrar em Jerusalém”.

Musallam enfatizou a necessidade de evitar que os colonos entrem na Mesquita de Al-Aqsa e profanem a Terra Santa. “O Dia de Jerusalém é um dia que pertence à pátria e ao seu povo. Nós sacrificaremos nosso sangue por causa de Jerusalém; se ele viver, nós vivemos, e se ele perecer, nós perecemos com ele.”

O Hamas acrescentou que a decisão do Tribunal de Magistrados de Israel de permitir que os colonos pratiquem seus rituais talmúdicos durante suas incursões provocativas no Nobre Santuário da Mesquita de Al-Aqsa está brincando com fogo, cruzando todas as linhas vermelhas e uma perigosa escalada para a qual os líderes da ocupação terá de arcar com as consequências. O Movimento de Resistência Islâmica disse que isso seria um desastre para os israelenses, seu governo e seus colonos, e que retaliará com mais resistência e confronto para conter os planos de judaização de Israel.

LEIA: Tribunal de Israel permite que colonos orem em voz alta em Al-Aqsa

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments