Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Dezenas de colonos invadem a Mesquita de Al-Aqsa

Dezenas de colonos invadem a Mesquita de Al-Aqsa, em 22 de maio de 2022 [Al Mayadeen]

A agência de notícias palestina Wafa informou que dezenas de colonos invadiram em grupos o Portão de Mughrabi da mesquita de Al-Aqsa, realizaram rituais talmúdicos e fizeram passeios provocativos em seus pátios.

O grupo chamado Mulheres pelo Templo convocou os colonos a participar do ataque no aniversário da ocupação de Jerusalém Oriental, ou o que eles chamam de “Dia da Unificação de Jerusalém”, que cai em 29 de maio, como parte dos esforços para impor a rituais bíblicos em Al Aqsa.

O líder da organização de assentamentos de Lahava, Bentzi Gopstein, também pediu a mobilização para atacar Al-Aqsa no Dia de Jerusalém no final deste mês, como “o dia para começar a demolir o Domo da Rocha”. «

A Mesquita de Al-Aqsa é alvo de incursões diárias de colonos, exceto às sextas e sábados, em grupos e em dois turnos, manhã e noite, e sob a proteção das forças de ocupação, na tentativa de impor uma divisão temporal e espacial na Al-Aqsa.

LEIA: Expansão dos assentamentos estende violência estabelecida desde a Nakba

A administração da Mesquita Al-Aqsa esclareceu que os grupos extremistas entram pelo portão al-Silsilah e depois caminham até o salão de orações Marwani, Bab al-Nazir e Majlis, e saem pelo portão al-Silsilah.

O ataque dos extremistas à mesquita de Al-Aqsa começa pouco depois das 7h. e segue na primeira etapa até as 11h. Após 1:00; ou seja, após a oração do meio-dia, começa a segunda fase das incursões diárias.

Prisões na Cisjordânia

Por outro lado, as forças de ocupação lançaram uma campanha de detenções em várias cidades da Cisjordânia ocupada, após as incursões e ataques realizados no domingo.

Na cidade de Ramallah, as forças de ocupação prenderam cinco palestinos: Muhammad Abdel Qader Nofal, na entrada da vila de Ras Karkar, a oeste da cidade, e Awad Jum`a Hammad, Mahmoud Maher Hammad, Muhammad Ezzat Hammad e Obada Husam Hammad, enquanto estavam na entrada da vila de Silwad, a leste da cidade.

Na cidade de Nablus, as forças de ocupação israelenses invadiram o campo de Ain Beit al-Maa, invadiram a casa do prisioneiro libertado Hilal Shaheen, revistaram-na e vandalizaram seu interior e prenderam seu pai, Muhammad Shaheen, quando não encontraram seu filho Hilal.

Em Belém, as forças de ocupação prenderam dois jovens da cidade de Beit Fajjar, ao sul da cidade, Muhammad Ibrahim Taqatqa e Yazan Mahmoud Taqatqa, depois de terem invadido e revistado as casas de suas famílias.

As informações são do site Al Mayadeen

LEIA: ‘Brincando com fogo’, alerta Hamas sobre apelo de colonos para demolir Domo da Rocha

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments