Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Doador conservador israelense é suspeito de canalizar dinheiro russo para o Partido Conservador do Reino Unido

O negociante de arte milionário Ehud Sheleg [Youtube]

O ex-tesoureiro britânico-israelense do Partido Conservador do Reino Unido foi denunciado às autoridades por suspeita de lavagem de dinheiro depois que uma doação de seis dígitos para a campanha eleitoral do primeiro-ministro aparentemente foi proveniente de uma conta bancária russa.

O negociante de arte milionário Ehud Sheleg, 66, financiou o Partido Conservador com mais de 4,26 milhões de dólares desde 2017, ajudando Boris Johnson a conquistar sua vitória esmagadora nas eleições de 2019.

Ele recebeu o título de cavaleiro e foi nomeado tesoureiro do partido seis meses antes da eleição.

De acordo com o New York Times, uma doação de US$ 550.000 em fevereiro de 2018 foi sinalizada à Agência Nacional de Crimes pelo Barclays Bank. Ao rastrear os fundos, o banco descobriu que eles se originaram na conta russa do sogro de Sheleg, Sergei Kopytov, um ex-político pró-Kremlin e empresário na Crimeia.

A doação foi sinalizada tanto como possível lavagem de dinheiro quanto como doação política potencialmente ilegal, pois é ilegal no Reino Unido aceitar doações políticas de mais de US$ 610 de estrangeiros que não podem votar na Grã-Bretanha.

LEIA: ‘Emirados Árabes ajudam Rússia a enfrentar sanções’, afirma jornal francês

“Somos capazes de traçar uma linha clara desde essa doação até sua fonte final”, escreveu Barclays. “Pode-se afirmar com considerável certeza que Kopytov foi a verdadeira fonte da doação.”

Preocupações em relação ao histórico financeiro de Sheleg e conexões com a Rússia incluem ele hospedando o embaixador russo no auge da crise na Crimeia, quando a Rússia anexou a região da Ucrânia.

Sheleg também se tornou sócio de um empresário sediado em Chipre com ligações ao crime organizado russo, informou a Private Eye.

Um advogado de Sheleg reconheceu que ele e sua esposa receberam milhões de dólares de seu sogro nas semanas anteriores à doação. Mas eles disseram que era um presente da família e “inteiramente separado” da contribuição da campanha, divulgou o New York Times.

Chris Bryant, deputado trabalhista e presidente do comitê de padrões parlamentares, disse: “Os conservadores devem devolver o dinheiro e pedir desculpas por se colocarem no penhor do dinheiro russo”.

LEIA: O mundo está enfrentando uma nova Guerra Fria

Em resposta, a parlamentar Alyn Smith disse: “Por muito tempo, o partido conservador se mostrou bastante satisfeito em manter os olhos fechados e as carteiras abertas – com sérias dúvidas sobre o dinheiro vinculado à Rússia que sustenta o partido”.

“Os últimos relatórios do New York Times apenas levantam mais questões que os conservadores não podem continuar a ignorar. Eles devem esclarecer o fluxo de doações desonestas que inundam os cofres do partido que podem ser provenientes de figuras ligadas ao Kremlin.”

Categorias
ChipreEuropa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioReino UnidoRússia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments