Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Samarcanda

Autor do livro(s) : Amin Maalouf
Data de publicação :1° edição, 2022
Editora :Tabla
Número de páginas do Livro :348 páginas
ISBN-13 :978-65-86824-26-1

O romance histórico Samarcanda gira em torno da história do icônico manuscrito do Rubaiyat, de Omar Khayyam, desde a sua composição pelo poeta e sábio persa do século XI à sua perda no naufrágio do Titanic em 1912.

Acusado de zombar dos códigos invioláveis do Islã, o poeta e sábio persa Omar Khayyam é conduzido à presença do juiz local. Reconhecendo a sua genialidade como poeta e a sua estatura como pensador, este homem poupa a vida de Khayyam e lhe entrega um caderno em branco para que se limite a escrever nele seus versos. Assim nasceu o Rubaiyat. Os caminhos da vida deste poeta se cruzam com os de Nizam Al-Mulk, vizir do sultão Malikchah, e com os de Hassan Sabbah, fundador da Ordem dos Assassinos, que mais tarde esconderá o precioso manuscrito na famosa fortaleza montanhosa de Alamut. No final do século  XIX, o livro acendeu a imaginação do Ocidente na tradução evocativa de Edward Fitzgerald. No início do séc. XX, um acadêmico estadunidense ouve falar da sobrevivência do manuscrito e o recupera com a ajuda de uma princesa persa. Juntos, eles o levam na fatídica viagem do Titanic.

“Saberia o juiz que com aquele gesto, com aquelas palavras, dava vida a um dos segredos mais bem guardados da história das letras? Que seria preciso esperar oito séculos até que o mundo descobrisse a sublime poesia de Omar Khayyam, até que seu Rubaiyat fosse venerado como uma das obras mais originais de todos os tempos, até que fosse enfim conhecido o estranho destino do manuscrito de Samarcanda?”

Neste romance, a narrativa do premiado escritor e jornalista libanês Amin Maalouf conduz leitores  pela Rota da Seda, atravessando séculos, com seu talento de contador de histórias.

LEIA: Clássico feminista da literatura turca chega ao Brasil em tradução inédita

Maalouf nasceu em Beirute, no Líbano, em 1949. Foi repórter durante doze anos, realizando missões em mais de 60 países. Mudou-se para Paris em 1976, e é membro da Academia Francesa desde 2011. Seus livros foram traduzidos para mais de 40 idiomas. Recebeu diversos prêmios importantes como: Prix des Maisons de la Presse, Prêmio Goncourt, Prêmio Príncipe das Astúrias, Prêmio Calouste Gulbenkian. Seus livros são romances históricos, ambientados no Oriente Médio, na África e no Mediterrâneo. Ele diz que seu papel como escritor é criar “mitos positivos”.

A obra em português é uma publicação da Editora Tabla, que tem foco nas culturas do Oriente Médio e do Norte da África e seus ecos no Ocidente, e a tradução ao português é da jornalista Marília Scalzo, também escritora e coordenadora de Comunicação do Instituto Moreira Salles.

Categorias
LíbanoOriente MédioResenhasResenhas - Livros
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments