Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel é amplamente condenado por demolição em Sheikh Jarrah

Residência da família Salehiyah, em Sheikh Jarrah, marcada para demolição pelas autoridades de Israel, em Jerusalém ocupada, 17 de janeiro de 2022 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]

Israel tem sido amplamente criticado pela demolição durante a noite de uma casa palestina no bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental ocupada.

Grupos palestinos e organizações internacionais de direitos humanos condenaram a demolição da casa da família Salhiya, que deixou 18 pessoas desabrigadas, incluindo crianças, como um “crime de guerra”.

A demolição foi realizada durante a noite de quarta-feira por uma grande operação de segurança israelense, que invadiu violentamente a casa de Mahmoud Salhiya antes de prendê-lo com vários de seus parentes e apoiadores.

Seguiu-se uma ordem de despejo do município de Jerusalém de Israel, que argumentou que os Salhiyas não têm direito sobre a terra.

Mahmoud diz que a família é dona da casa e mora nela há gerações desde que foram expulsos pela milícia sionista de Ein Karem em 1948 durante a Nakba palestina, ou Catástrofe, quando cerca de 750.000 palestinos foram violentamente deslocados para criar o Estado de Israel.

LEIA: Forças israelenses derrubam casa de Salhiya no Sheikh Jarrah em ataque noturno

Em meio a notícias da demolição e imagens das consequências da casa em ruínas, a Human Rights Watch (HRW) chamou a expulsão dos Salhiyas e a destruição de sua casa de “crime de guerra”.

“Os Saliyehs foram expulsos de sua casa em Ein Karem durante a Nakba em 1948 e estão impedidos pela lei israelense de recuperá-la”, disse o diretor de Israel e Palestina da HRW, Omar Shakir, em um comunicado compartilhado no Twitter.

“Esses atos cruéis transformam os Salhiyehs em duas vezes refugiados. É assim que o apartheid e a perseguição se parecem.”

Ir Amim, um dos principais grupos de direitos humanos de Israel, chamou a demolição de “um ato imperdoável e violação do [direito internacional]”.

“Enquanto o mundo está assistindo, eles [autoridades israelenses] escolheram cinicamente desapossar uma família palestina para construir uma escola de necessidades especiais nas ruínas de suas casas”, disse a ONG.

O Conselho Norueguês para Refugiados, uma organização humanitária independente, ecoou críticas semelhantes.

“O despejo da família marca uma clara violação do direito internacional, que proíbe o deslocamento forçado em território ocupado”, disse o conselho em um tuíte.

“Como potência ocupante em Jerusalém Oriental, as autoridades israelenses têm o dever de garantir a segurança e a proteção da população palestina.”

Chamada para proteger as casas

Na segunda-feira, uma delegação de diplomatas europeus visitou o local da casa de Salhiya durante um impasse com as forças israelenses que tentavam realizar a demolição.

Sven Kuehn von Burgsdorff, chefe da missão da União Europeia nos territórios palestinos, disse na época que “em território ocupado, os despejos são uma violação do direito internacional humanitário”.

LEIA: O direito à autodeterminação palestina pode ser alcançado por meios pacíficos?

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, também chamou a demolição de quarta-feira de “crime de guerra” e instou os Estados Unidos a “obrigar o governo da ocupação israelense a interromper a política de limpeza étnica contra o povo palestino”, segundo um comunicado publicado pelo jornal Wafa.

O movimento palestino Hamas chamou o incidente de “escalada perigosa da guerra de ocupação em curso contra a cidade de Jerusalém e os habitantes de Jerusalém”.

Muhammad Hamadeh, representante do grupo em Jerusalém, pediu aos moradores que continuem protegendo suas casas contra demolições, informou a Agência Anadolu.

“Esse crime não quebrará a determinação da firmeza de nosso povo em Jerusalém”, disse Hamadeh.

Publicado originalmente em Middle East Eye

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments