Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Violência colonial pode incitar nova Intifada, alertam ex-comandantes israelenses

Residentes de al-Lubban ash-Sharqiya respondem a agressões da ocupação israelense, na região de Nablus, Cisjordânia, 25 de novembro de 2021, após 200 colonos ilegais obstruírem o acesso de estudantes palestinos à escola local [Nedal Eshtayah/Agência Anadolu]

Três ex-comandantes militares de Israel alertaram ao jornal Haaretz, nesta segunda-feira (10), que a escalada na violência colonial na Cisjordânia ocupada pode incitar uma Terceira Intifada.

A reportagem manteve o anonimato das fontes, ao descrevê-las como membros do movimento Comandantes pela Segurança de Israel, que inclui policiais e militares da reserva, além de outros oficiais aposentados dos serviços de inteligência Shin Bet e Mossad.

“A violência desgovernada de colonos extremistas prejudica o poder de dissuasão do exército israelense”, alertaram os ex-comandantes em carta. Segundo o relato, os colonos “organizam violência em massa e desafiam a soberania e o estado de direito”.

As fontes reafirmaram que a violência colonial nos territórios ocupados chegou a um “ponto crítico”, ao atrair repúdio “não apenas de oponentes, mas também aliados, incluindo a presidência, o congresso e mesmo a comunidade judaica nos Estados Unidos”.

Os comandantes da reserva advertiram então que a “situação caótica na Cisjordânia pode instigar uma resposta de aliados árabes — como Egito, Jordânia e estados do Golfo”.

Segundo o Haaretz, os comandantes observaram que a violência colonial pode prejudicar esforços de normalização com países árabes e islâmicos, com consequências “destrutivas”.

A situação pode se agravar de tal modo que os palestinos sintam a necessidade de lançar uma Terceira Intifada. Dessa forma, os comandantes exortaram a liderança política e militar israelense a “barrar decisiva e imediatamente este fenômeno”.

Em novembro, especialistas de direitos humanos das Nações Unidas reafirmaram: “A violência colonial sempre foi um aspecto profundamente perturbador da ocupação … Em 2021, todavia, vivenciamos recordes de violência em relação aos anos recentes e incidentes mais graves”.

“O governo israelense e seu exército fizeram pouquíssimo para combater a violência e proteger os palestinos sob cerco e ocupação”, concluíram os pesquisadores da ONU.

LEIA: Colonos são ‘subumanos’, afirma parlamentar de Israel

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments