Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Governo israelense de Bennett é pior que seus antecessores, afirma AP

Primeiro-Ministro de Israel Naftali Bennett presta homenagem aos soldados mortos na Guerra de Yom Kippur, em Jerusalém, 19 de setembro de 2021 [OHAD ZWIGENBERG/AFP via Getty Images]
Primeiro-Ministro de Israel Naftali Bennett presta homenagem aos soldados mortos na Guerra de Yom Kippur, em Jerusalém, 19 de setembro de 2021 [OHAD ZWIGENBERG/AFP via Getty Images]

O governo israelense liderado pelo premiê Naftali Bennett provou-se ainda pior do que seus antecessores, constatou Nabil Abu Rudaineh, porta-voz da presidência da Autoridade Palestina (AP), em entrevista à emissora de rádio Voice of Palestine.

“Nosso povo enfrenta diversas medidas do regime israelense para destruir qualquer para recuperar o processo de paz”, declarou Rudaineh. “O atual governo da ocupação foi mais longe do que seus antecessores nas mortes diárias e crimes de guerra”.

Rudaineh reafirmou que a liderança da Autoridade Palestina “possui todos os meios legais para ir aos fóruns internacionais e responsabilizar Israel por seus crimes … conduzidos em detrimento da paz, estabilidade e prosperidade de toda a região”.

Na quarta-feira (17), em Ramallah, o presidente palestino Mahmoud Abbas advertiu Linda Thomas-Greenfield, embaixadora dos Estados Unidos na ONU, que as tentativas israelenses de mudar o status de Jerusalém ocupada prejudicam a solução de dois estados.

Segundo as Nações Unidas, entre o início do ano e 31 de outubro, soldados israelenses mataram 331 palestinos e feriram 16 mil pessoas. No mesmo período, a ocupação demoliu 721 edifícios e deslocou 962 palestinos da Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

LEIA: A batalha de vontades Biden-Bennett no Consulado dos EUA em Jerusalém Oriental

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments