Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ativista do Marrocos faz greve de fome para protestar contra proibição de viagens

O historiador marroquino e ativista de direitos humanos Maati Monjib, que esteve em greve de fome por 19 dias, gesticula para sua libertação da prisão de El Arjate, perto da capital Rabat, em 23 de março de 2021 [STR/AFP via Getty Images]

O proeminente acadêmico marroquino e ativista de direitos humanos Maati Monjib anunciou ontem que havia iniciado uma greve de fome para protestar contra a proibição de viajar.

“Estou iniciando uma greve de fome em protesto por ser impedido de viajar para tratamento médico na França, onde está minha família”, escreveu ele no Facebook.

Conhecido por suas opiniões antirregime, Monjib está sendo julgado no Tribunal de Apelação sob a acusação de “prejudicar a segurança do Estado e fraude”, pelo que foi condenado a um ano de prisão em janeiro. Essa decisão foi emitida à revelia, visto que Monjib estava detido na época, enquanto se aguarda as investigações de um segundo caso.

Essa é sua segunda greve de fome. Em 2015, Monjib fez greve de fome por 24 dias pelo mesmo motivo. Ele encerrou seu protesto depois que a proibição foi suspensa após uma campanha de solidariedade.

LEIA: Líder da independência do Saara Ocidental diz que os combates continuarão ao longo do muro de Marrocos

Categorias
ÁfricaMarrocosNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments