Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021 [ONU/Cia Pak]

Ao falar esta sexta-feira a jornalistas após a semana de alto nível da Assembleia Geral da ONU, o presidente do órgão, Abdulla Shahid, destacou que é preciso atuar com rapidez para superar o desequilíbrio de poder entre homens e mulheres.

Abdulla Shahid disse que vem reorganizando o Conselho Consultivo da Assembleia Geral para a Igualdade de Gênero. Para ele, “sem medidas para contornar essa maré”, levariam mais de 135,6 anos para fechar essa lacuna.

Lacuna

O Conselho para a Igualdade de Gênero reunirá uma “ampla combinação de conhecimentos” dos Estados-Membros, do sistema das Nações Unidas, do setor privado, do órgão da ONU sobre o Tratado, da sociedade civil e dos parlamentos.

A ideia é garantir que haja uma perspectiva “verdadeiramente inclusiva” em favor de uma abordagem em várias frentes. A meta seria fazer avançar a igualdade de gênero na 76ª sessão da Assembleia Geral, que se estende até setembro de 2022.

LEIA: Única mulher taxista de Rabat desafia estereótipos no Marrocos

Shahid disse que este conselho servirá como um mecanismo para ajudar a aliar uma perspectiva de gênero em todas as iniciativas e mandatos para o atual período de trabalhos. A composição, que agora está em finalização, será anunciada em breve.

Chefes de Estado

Ele destacou que foram apenas 18 as mulheres, representando 9,2%, entre os 194 oradores dos debates de alto nível. Pelo menos 100 discursos foram apresentados por chefes de Estado e 52 por chefes de governo. Entre eles, estiveram três vice-presidentes e 34 ministros.

Numa sessão realizada em tempo de recuperação da pandemia, 93 participantes foram vacinados. Outros 843 realizaram testes gratuitos para detestar o vírus Covid-19 que foram oferecidos por unidades móveis.

Na edição deste ano, a Guiné-Bissau teve o discurso mais curto com cinco minutos. O mais longo foi o da Papua Nova Guiné, com 46 minutos.

Na semana de alto nível, Shahid reuniu chefes de Estado e de governo de sexo feminino para abordar como promover a igualdade de género. Antes de fazer o juramento, o contacto nesse sentido foi com mulheres representantes permanentes na ONU.

LEIA: A vida e a liberdade das mulheres sob ataque feroz

Publicado originalmente em Onu News

Categorias
CoronavírusNotíciaONUOrganizações Internacionais
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments